O que deu na mídia (edição 204)

app_sphere_news

Velho conhecido do brasileiro, Aedes aegypti volta a assustar o país – “EBC” – 01/01/2016

A procura por repelentes em farmácias e drogarias de todo o país está em alta neste verão e o produto dificilmente é encontrado nas prateleiras. Tudo em razão da circulação de um velho conhecido do brasileiro: o mosquito Aedes aegypti. Além da dengue e da febre chikungunya, o vetor também transmite o vírus Zika, recém-chegado ao Brasil. Na semana passada, o Ministério da Saúde alertou que as medidas de combate ao mosquito devem ser reforçadas durante as férias e festas de fim de ano, período marcado por chuvas em muitos estados e com maior circulação de pessoas. A recomendação aos viajantes é que, antes de saírem de casa, façam uma vistoria para eliminar recipientes que possam acumular água parada e servir como criadouro.

Estados Unidos avançam na questão climática, mas imigração é tabu – “Jornal do Brasil” – 01/01/2016

O governo dos Estados Unidos conseguiu em 2015 avançar na agenda climática ao assinar o acordo sobre o clima em Paris, em dezembro, propondo compromissos de redução anteriores à assinatura do documento na França. Mas, se por um lado houve avanço na questão climática, a administração do presidente Barack Obama não conseguiu dar uma resposta às questões de imigração e controle de armas no país – promessas de campanha do primeiro e segundo mandatos. Na questão climática, Obama lançou neste semestre um plano de redução de emissão de gases das termoelétricas em 32% até 2030. O projeto foi enviado ao Congresso e encontra resistência entre parte dos republicanos, que afirmam que a redução vai gerar perda de empregos devido aos altos custos que a indústria terá.

Comlurb remove mais de 600 toneladas de lixo das festas do Rio – “G1” – 02/01/2016

A Comlurb removeu mais 694,2 toneladas de resíduos de todos os locais de eventos comemorativos do réveillon, no Rio, nesta sexta-feira (1º). Só em Copacabana, na festa considerada como o maior réveillon do mundo foram recolhidos 315,2 toneladas de lixo e 48,3 toneladas de resíduos recicláveis, o que equivale a 3% a mais do removido no ano passado. Em 2015, foram recolhidas em toda os eventos da cidade 680 toneladas, sendo 370 toneladas em Copacabana. O trabalho deste ano na orla de Copacabana foi realizado 1.165 garis. O público teve à disposição 1.455 contêineres, 247 caminhões, pás mecânicas, caminhões pipa e outros equipamentos. Este ano, por causa da grande quantidade de pessoas que ficaram na praia desde as primeiras horas da manhã, os garis demoraram um pouco mais para recolher o lixo  por causa da dificuldade de entrar com a pá mecânica, na areia.

Governo de Pequim investiga empresas para reduzir poluição – “Exame” – 03/01/2016

O governo de Pequim está investigando empresas de carvão e outros minérios, assim como companhias que fabricam produtos químicos perigosos, em um esforço para aumentar os padrões de segurança e levar empresas poluentes para for da cidade, informou a mídia estatal chinesa no domingo. As autoridades chinesas estão sob pressão para combater o problema da poluição, uma importante fonte de insatisfação pública, que vem depois de décadas de crescimento econômico. A cidade de Pequim quer aumentar os padrões de segurança para as indústrias e forçar as companhias a usar equipamentos e tecnologia modernos.

Exames pra detecção de dengue e chikungunya passam a ter cobertura obrigatória – “Radar 64” – 03/01/2016

A partir de hoje (2), operadoras de planos de saúde em todo o país serão obrigadas a oferecer cobertura para o teste rápido de dengue e a sorologia para febre chikungunya. Além dos dois exames laboratoriais, outros procedimentos foram adicionados ao rol pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS). A entidade destacou que o diagnóstico do vírus Zika, recém-chegado ao Brasil e também transmitido pelo mosquito Aedes aegypti, pode ser presumido pela exclusão da dengue e da febre chikungunya e pelo acompanhamento dos sintomas clínicos da doença. “A ANS está alinhada ao Ministério da Saúde nas ações para prevenção e combate ao Aedes aegypti. No nosso site, a população pode obter maiores informações sobre a prevenção dessas doenças”, informou a gerente-geral de Regulação Assistencial da ANS, Raquel Lisbôa.

Nova agenda orienta ações para o desenvolvimento sustentável – “Envolverde” – 04/01/2016

O ano que se inicia marca o lançamento oficial da audaciosa e transformadora Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável, adotada por líderes mundiais no mês de setembro de 2015, na sede das Nações Unidas em Nova York. A nova Agenda convoca os países a iniciarem os esforços para alcançar o cumprimento dos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) nos próximos 15 anos. “Os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável são a nossa visão compartilhada da humanidade e um contrato social entre os líderes mundiais e as pessoas”, disse o secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon. “São uma lista de tarefas às pessoas e ao planeta, e um guia para o sucesso”.

Inundações exigem respostas conjuntas – “IPS” – 04/01/2016

As inundações que afetam quatro países sul-americanos deixaram evidente a necessidade de combater de maneira integrada as causas e os efeitos da mudança climática. Além dos planos conjuntos de emergência, o aquecimento global os coloca diante de problemas comuns, como desmatamento e manejo de suas bacias hidrográficas compartilhadas, entre outros. Já há cerca de 180 mil evacuados desde que se intensificaram as chuvas no final do ano, e as enchentes provocadas pelas cheias dos rios Paraná, Paraguai e Uruguai não respeitam fronteiras entre essas nações do Mercosul e as integra na catástrofe ambiental. Nas províncias do litoral argentino, cidades do norte do Uruguai e do sul do Brasil, e zonas ribeirinhas próximas à capital paraguaia, as cenas de ruas alagadas, equipes de socorro, abrigos para desabrigados, se repetem.

Número de casos de microcefalia é alarmante – “UOL” – 05/01/2016

O novo secretário estadual de Saúde do Rio de Janeiro, Luiz Antônio de Souza Teixeira Júnior, considerou muito grave e alarmante o número de casos de microcefalia no estado. Para ele, é preciso prestar mais esclarecimentos às grávidas sobre os riscos que elas correm com a exposição ao mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, da chikungunya e do vírus Zika, esse último associado à microcefalia. “A gente precisa mudar o nosso foco, para que a gestante tome as medidas e para que não venha a contrair o vírus Zica”, disse. Teixeira pediu que a população faça a sua parte no combate ao mosquito evitando deixar água em locais onde o inseto possa se reproduzir. “Que ajude dentro da sua casa, da casa do seu vizinho e no seu deslocamento. Esse trabalho com o mosquito é um trabalho comunitário”.

Construtora é multada em R$ 19 mil por focos de Aedes aegypti em obra – “G1” – 05/01/2016

A GPL Construtora foi multada em R$ 19.166,40 após focos do mosquitos Aedes aegypti terem sido encontrados, pela segunda vez, em uma obra do Setor Marista, bairro nobre de Goiânia. Agentes sanitários da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) recolheram vários exemplares durante vistoria realizada no prédio em construção nesta segunda-feira (4). “Encontramos diversas situações. Vários copos descartáveis, caixas d’água destampadas, várias situações de larva, de mosquito adulto que acabaram culminando com a questão do auto de infração”, explicou o coordenador de Zoonoses da SMS, Redi Oliveira.

Aquecimento reduzirá oferta de energia no mundo, sugere nova análise – “Observatório do Clima” – 06/01/2016

A estiagem que tem limitado a produção de energia nas hidrelétricas brasileiras será comum nas próximas décadas, e outros países devem enfrentar situações semelhantes. E quem acha que dá para contornar o problema ligando termelétricas fósseis pode se dar mal: as térmicas terão restrições de operação maiores ainda, por falta de água. A conclusão é de um estudo feito por pesquisadores da Holanda e da Áustria, que analisou como o aquecimento global afetará o comportamento de 26 mil usinas hidrelétricas e termelétricas em todos os continentes. O grupo estima que mais de 60% das hidrelétricas estudadas e mais de 80% das termelétricas terão alguma perda de capacidade útil entre 2040 e 2069 devido à mudança do clima.

A desigualdade social chega a níveis alarmantes – “Envolverde” – 06/01/2016

Em 2013, com O Capital no Século XXI, Thomas Piketty alertou para o crescimento contínuo da desigualdade de riqueza desde a década de 1970, contrária à tendência dos 60 anos anteriores e muito mais acentuada e socialmente relevante que a desigualdade de renda, mais fácil de pesquisar e na qual se concentrava a maioria dos estudos anteriores. Na Europa, a parcela detida pelo décimo superior subiu de 60% em 1970 para 64% em 2010 e a do centésimo superior de 21% para 24%. Nos EUA, o décimo superior subiu de 64% para 72% e o centésimo superior de 28% para 34%. Na falta de políticas ativas contra a desigualdade (como, por exemplo, impostos progressivos sobre o capital), esses países retornarão em meados do século XXI a um patamar de desigualdade semelhante àquele do fim do século XIX e início do XX.

Britânicos criam reserva marinha do tamanho do Reino Unido no Atlântico – “Partido Verde” – 07/01/2016

Mais da metade das águas em torno da ilha britânica de Ascensão, que fica no Atlântico a meio-caminho entre Pernambuco e Angola, são agora uma reserva marinha. Uma área de 234 mil km² — quase o tamanho do Reino Unido — será destinada agora à preservação ambiental. Logo de cara, 52,6% das águas na zona econômica exclusiva britânica em torno da ilha serão fechadas para pesca e monitoradas por barcos de patrulha. Os outros 47,4% serão explorados por biólogos e oceanógrafos para que, até 2017, os limites precisos da reserva sejam demarcados com precisão. A criação da reserva foi anunciada após uma negociação de dois anos entre o Governo Britânico, o governo local de Ascensão e a Blue Marine Foundation, um fundo ambiental criado em 2010. O monitoramento da nova reserva será bancado inicialmente por £300.000 (R$ 1,8 milhão) doados pela Fundação Bacon, durante um ano e meio.

Paris vai fechar Champs Élysées para carros um domingo ao mês – “UOL” – 07/01/2016

A avenida Champs Élysées, em Paris, será fechada para carros um domingo por mês para que os pedestres fiquem livres para transitar, anunciou a prefeita da capital francesa nesta quarta-feira (6). A prefeita Anne Hidalgo, Socialista, disse que seus planos para a elegante avenida e ponto da cidade muitas vezes usado para cerimônias nacionais, são parte de uma série de medidas ambientalmente amigáveis planejadas para 2016. Outros planos incluem pedestrianização permanente em um trecho da avenida que fica na margem direita do Sena. Milhares de parisienses passearam pelos quase dois quilômetros na Champs Élysées no último domingo de setembro, quando a avenida foi fechada como parte de um evento europeu de dia sem carro.

Itaipu reassume liderança mundial em produção de energia elétrica em 2015 – “G1” – 08/01/2016

A Usina de Itaipu, no oeste do Paraná, ultrapassou a chinesa Três Gargantas e reassumiu a liderança mundial em produção de energia elétrica. A binacional, que pertence ao Brasil e ao Paraguai, também detém outra marca histórica, a de maior produtora de energia acumulada do planeta, com mais de 2,312 bilhões de megawats-hora (MWh) desde a entrada em operação, em maio de 1984. Apesar de uma capacidade instalada menor (14 mil MW) do que a chinesa (22,4 mil MW), Itaipu produziu 2,5% a mais que Três Gargantas em 2015: foram 89,2 milhões de MWh contra 87 milhões de MWh. Os dados de geração da hidrelétrica chinesa foram divulgados nesta quinta-feira (7).

Pesquisadores da USP recebem senegaleses que vão ajudar no estudo do vírus Zika – “EBC” – 09/01/2016

Um grupo de pesquisadores do Instituto Pasteur, de Dakar, no Senegal, que estuda o vírus Zika, chegou ao Brasil nesta semana para auxiliar a força-tarefa de cientistas do Instituto de Ciências Biomédicas (ICB) da Universidade de São Paulo (USP) que se dedicam ao mesmo assunto. Liderada por Amadou Alpha Sall, a equipe senegalesa tem experiência de mais de 15 anos no estudo do vírus e também participou do combate ao ebola no Oeste da África. O objetivo é transferir experiência e treinar os pesquisadores brasileiros, que devem ser multiplicadores, para agir em caso de surtos de Zika. Eles permanecem no país até o dia 19.

Índia revoga proibição de espetáculos com touros, apesar de polêmica – “Terra” – 09/01/2016

O governo da Índia revogou a proibição dos espetáculos com touros através de uma ordem questionada por ativistas de defesa animal, que consideram que transgride a proibição ditada pela Corte Suprema, e a poucos dias do início de um festival de ampla tradição no país. Em uma notificação publicada hoje, o Executivo indiano suspende a proibição estabelecida pelo Ministério do Meio Ambiente em 2011 e volta a autorizar o uso destes animais em espetáculos “praticados tradicionalmente (…) ou como parte da cultura”. A ordem cita expressamente o “Jallikattu” em Tamil Nadu, uma espécie de rodeio que é bastante popular neste estado e que começa na próxima semana.

AM tem 16 grupos de índios isolados, aponta levantamento da Funai – “G1” – 10/01/2016

O Amazonas tem 16 grupos de índios isolados na região do Vale do Javari, que fica no extremo oeste do Amazonas e na fronteira com o Peru. Em 2014, dois grupos fizeram os primeiros contatos. A região tem sido palco de conflitos de povos indígenas de etnias distintas. Há um ano, um confronto resultou em mortes de índios. O inquérito que investiga o caso não foi concluído. A Terra Indígena do Vale do Javari, no estado do Amazonas, possui área de 8,4 milhões de hectares. A Fundação Nacional do Índio (Funai) estima a existência de cerca de 4,5 mil índios de contato permanente e dois grupos de recente contato na região.

Pequim fechará 2.500 empresas para combater a poluição – “Reuters” – 11/01/2016

Pequim vai fechar 2.500 empresas poluidoras neste ano, no mais recente esforço chinês de combate à poluição, informou neste sábado a agência de notícias estatal Xinhua, citando a prefeitura da cidade. A poluição é um assunto polêmico na China. Milhares de protestos são registrados todos os anos devido à degradação ambiental, principalmente a causada pelas fábricas. Quatro distritos da capital chinesa, que foram fortemente afetados pela poluição durante o inverno local, terão que desativar 2.500 empresas até o fim do ano, e outras serão fechadas no ano que vem, informou a Xinhua.

Capital mais poluída, Nova Délhi está dividida sobre rodízio de veículos – “Terra” – 11/01/2016

A população de Nova Délhi, capital com o ar mais poluído entre todos os países do mundo, tem opiniões divididas sobre os efeitos da experiência implantada há uma semana pelo governo local para fazer um rodízio no tráfego através das placas de veículos – como em São Paulo, já que os engarrafamentos diminuíram, mas a poluição não. O smog (smoke (fumaça) mais fog (neblina)), termo usado para definir o acúmulo de poluição nas cidades, continua onipresente na capital indiana, assim como a coceira na garganta em decorrência da poluição. Contudo, muitos cidadãos reconhecem o alívio proporcionado pela redução dos engarrafamentos sem fim.

Igualdade de gênero é uma meta distante – “IPS” – 12/01/2016

As mulheres são quase metade dos 1,25 bilhão de habitantes da Índia, mas a igualdade de gênero – na política, economia, educação ou saúde – continua sendo um sonho distante para a maioria, como confirma o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud) em seu Informe sobre Desenvolvimento Humano (IDH) 2015. O Pnud coloca a Índia no 130º lugar entre 155 países em seu Índice de Desigualdade de Gênero (IDG), atrás da maior parte da Ásia, inclusive de países menos industrializados, como Bangladesh e Paquistão, que ocupam os lugares 111º e 121º, respectivamente. O IDG se baseia em três parâmetros: saúde reprodutiva, empoderamento e atividade econômica. O desempenho desse país, péssimo nos três, é especialmente preocupante quanto à representação das mulheres no poder legislativo. As mulheres ocupam apenas 12,2% das cadeiras parlamentares na maior democracia do mundo, contra 19,7% no Paquistão, 20% em Bangladesh e 27,6% no Afeganistão.

Após falar que ‘vacinar contra dengue é caro demais’, ministro da Saúde disse ‘torcer para que mulheres peguem zika’ – “Brasil Post” – 13/01/2016

Levado ao Ministério da Saúde a fim de acalmar o PMDB, Marcelo Castro vem tendo um início de ano recheado de ‘pérolas’, e provavelmente infelizes. A mais recente aconteceu nesta quarta-feira (13), quando o ministro tentou brincar com a ideia de economizar dinheiro no combate ao vírus zika, que causa uma epidemia sem precedentes no Brasil. Ele falava sobre os projetos de desenvolvimento de vacina contra o vírus, quando veio a gafe: “Não vamos dar vacina para 200 milhões de brasileiros. Mas para pessoas em período fértil. E vamos torcer para que mulheres antes de entrar no período fértil peguem a zika, para elas ficarem imunizadas pelo próprio mosquito. Aí não precisa da vacina”.

Brasil não vai cumprir meta de universalizar saneamento básico, diz CNI – “EBC” – 14/01/2016

O Brasil não vai conseguir universalizar o saneamento básico na primeira metade do século 21. Estudo elaborado pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), feito a partir de dados secundários, projeta que apenas em 2054 todos os brasileiros terão direito a morar num local com água encanada e tratamento de esgoto. “No ritmo atual, vai demorar muito para o Brasil ter a universalização, especialmente na coleta de esgoto, que é a coisa mais grave. 2054 a Deus pertence, está muito longe”, lamenta o gerente de Infraestrutura da CNI, Wagner Cardoso, responsável pelo estudo Burocracia e Entraves no Setor de Saneamento.

Primeira grande epidemia de zika no mundo acontece no Brasil, diz infectologista – “Uol” – 14/01/2016

Um dos mais respeitados infectologistas do País, o professor e ex-diretor da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo e coordenador de Controle de Doenças da Secretaria da Saúde de São Paulo, Marcos Boulos, acredita que o Brasil vive atualmente a maior epidemia já registrada no mundo por vírus zika. Em entrevista ao programa Espaço Público, na TV Brasil, o especialista defendeu o combate sistemático ao mosquito Aedes aegypti, transmissor não apenas do vírus zika, mas também da dengue e da chicungunha. Para ele, as prefeituras brasileiras erraram ao não manterem um grupo técnico permanente de controle do vetor.

Chuva causa prejuízos e bloqueia rodovias em três estados – “G1” – 15/01/2016

A chuva dos últimos dias tem provocado prejuízos em ao menos três estados: Mato Grosso do Sul, Paraná e São Paulo. São casas desmoronadas, pessoas desalojadas e desabrigadas, alagamentos e bloqueios de ruas e estradas, além de transbordamento de rios. No Paraná, mais de 16 mil pessoas em 42 municípios foram atingidas pela chuva entre sábado (9) e terça-feira (12). Em São Paulo, 3 pessoas morreram esse fim de semana e a região de Campinas (SP) tem 12 cidades em estado de atenção devido ao acumulado de chuvas nos últimos três dias. Em Mato Grosso do Sul, famílias ilhadas estão perdendo 10.000 litros de leite por conta da chuva e mais de 67 mil seguem desabrigadas e desalojadas.

Ibama fecha zoo do Rio e define multa diária de R$ 1 mil – “Estadão” – 16/01/2016

O zoológico do Rio foi fechado na manhã desta quinta-feira, 15, pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), sob a justificativa de que não tem mais condições de receber o público. É a segunda punição, em três meses, do Ibama  à Secretaria Municipal de Meio Ambiente, responsável pela Fundação RioZoo. Em outubro de 2015, o órgão fora autuado em R$ 1 milhão por não cumprir notificação para iniciar as obras de reforma no zoológico até agosto daquele ano. Na sanção de hoje, o Ibama estabeleceu multa diária de R$ 1 mil até que a Prefeitura do Rio faça obras que melhorem as condições do parque.

Micro-ônibus espacial vai entregar carga para astronautas em órbita – “G1” – 16/01/2016

A Nasa contratou a Sierra Nevada — empresa que desenvolveu a Dream Chaser, um micro-ônibus espacial — para transportar carga até a ISS (Estação Espacial Internacional). A agência espacial dos EUA anunciou na quinta-feira (14) que o veículo vai se juntar à frota de outros dois modelos de espaçonaves do setor privado que devem começar a voar para o complexo orbital a partir de 2019. As outras empresas selecionadas foram a SpaceX, que desenvolveu a espaçonave Dragon, com foguete não-retornável, e a Orbital ATK, que pesquisa um sistema de foguetes para cargas maiores. Os termos do contrato com a Sierra Nevada não foram revelados, mas a Nasa havia dito que pretendia gastar entre US$ 1,0 bilhão e US$ 1,4 bilhão por ano no programa. Cada contrato inclui até seis voos de carga para a ISS.

Novo Marco Legal da Ciência, Tecnologia e Inovação é sancionado – “Agência Fapesp” – 17/01/2016

A presidenta Dilma Rousseff sancionou no último dia 11, com vetos parciais, o Projeto de Lei da Câmara (PLC) 77/2015, aprovado pelo Senado Federal em 9 de dezembro de 2015, que dispõe sobre estímulos ao desenvolvimento científico, à pesquisa, à capacitação científica e tecnológica e à inovação. De autoria do deputado Bruno Araújo (PSDB-PE), regulamenta as parcerias de longo prazo entre os setores público e privado, dá maior flexibilidade de atuação às instituições científicas, tecnológicas e de inovação (ICTs) e às respectivas entidades de apoio. Uma das inovações da nova legislação é a possibilidade de dispensa de licitação, pela administração pública, nas contratações de serviços ou produtos inovadores de micro, pequenas e médias empresas.

Ciclovia sobre costão rochoso é o novo cartão-postal do Rio de Janeiro – “Rede Brasil Atual” – 18/01/2016

A prefeitura do Rio de Janeiro inaugurou hoje (17) ciclovia que liga os bairros de Leblon e São Conrado, na zona sul, depois de executar projeto desafiador, que permitiu construir um trecho de 2 quilômetros com estrutura de concreto sobre costão rochoso margeado pela avenida Niemeyer. No total, a ciclovia tem 3,9 quilômetros e já é considerada uma das mais bonitas do mundo e novo cartão postal da cidade. O Rio conta atualmente com 435 quilômetros de malha cicloviária e deverá chegar a 450 quilômetros até os Jogos Olímpicos deste ano, segundo pretende a prefeitura. Os moradores da cidade comemoraram a inauguração da ciclovia neste domingo.

Estudante cria luva especial para controlar tremores de Parkinson – “Humana Saúde” – 19/01/2016

Um estudante de medicina do Imperial College de Londres criou uma luva que ajuda pacientes de mal de Parkinson a manter a firmeza das mãos. Usando giroscópios — mecanismos similares usados para manter a estabilidade de satélites no espaço — o dispositivo tenta controlar os tremores típicos de pacientes da doença. Segundo Faii Ong, o inventor do aparelho, a vontade de criar algo que ajudasse vítimas do mal de Parkinson surgiu quando ele participou da equipe que cuidava de uma paciente de 103, parte de seu treinamento. Após elaborar diversos projetos, o estudante criou uma startup, e junto com outros colegas do Imperial College conseguiu levantar a verba para montar os primeiros protótipos do aparelho.

Oceanos em 2050 vão ter mais plástico do que peixes – “EBC” – 20/01/2016

O aumento da utilização de plásticos é de tal forma significativo que, em 2050, os oceanos terão mais detritos desse material do que peixes, alertou hoje (19) o Fórum Econômico Mundial de Davos, que começa nesta quarta-feira naquela estância suíça. “O sistema atual de produção, de utilização e de abandono de plásticos tem efeitos negativos significativos: entre US$ 80 bilhões e US$ 120 bilhões (entre 73 bilhões de euros e 109 bilhões de euros) em embalagens de plástico são perdidos anualmente. A par do custo financeiro, se nada mudar, os oceanos terão mais plásticos do que peixes [em peso] até 2050”, indicou um comunicado do fórum, que vai reunir até sábado (23) líderes mundiais e bilionários.

80% das cidades chinesas não respeitam normas de qualidade do ar – “G1” – 21/01/2016

Das 366 grandes cidades chinesas examinados pelo Greenpeace, 80% não respeitavam em 2015 as normas nacionais de qualidade do ar, pouco severas em um país com uma contaminação atmosférica endêmica, anunciou nesta quarta-feira a ONG de defesa do meio ambiente. As metrópoles chinesas se encontram regularmente cobertas por uma espessa neblina poluente, causada pelas indústrias, o tráfego e, especialmente, as usinas de carvão, que fornecem três quartos da eletricidade do país. Nas cidades analisadas, a concentração média de partículas de 2,5 micrômetros de diâmetro (PM2.5) era cinco vezes maior do que o limite recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS), informou o Greenpeace com base em dados do ministério chinês do Meio Ambiente.

Honda lançará carro movido a hidrogênio na Califórnia este ano – “Reuters” – 22/01/2016

A Honda Motor disse nesta quinta-feira que seu carro com célula de combustível de hidrogênio, apelidado de Clarity Fuel Cell, será lançado na Califórnia antes do fim do ano. O novo sedã, com capacidade para 5 passageiros, deve ser comercializado por cerca de 60 mil dólares, com parcelas mensais de menos de 500 dólares, disse a Honda em declaração divulgada no Salão do Automóvel de Washington D.C. A Honda disse que espera volumes limitados nos estágios iniciais de produção. As vendas serão realizadas inicialmente por comerciantes certificados de veículos com células de combustível em Los Angeles e condados de Orange, assim como na área da Baía de San Francisco e Sacramento, disse a empresa.

Madri proíbe carros em dias de poluição extrema – “Terra” – 23/01/2016

A prefeitura de Madri aprovou na quinta-feira, 21 de janeiro, de forma definitiva, o novo protocolo de ação para casos de poluição elevada, endurecendo as medidas de restrição do tráfego que já vigoram desde março. Pela primeira vez, existe a possibilidade de proibir a circulação a todos os veículos de passeio quando a qualidade do ar estiver excepcionalmente ruim. Segundo a secretária municipal de Meio Ambiente e Mobilidade, Inés Sabanés, as medidas concebidas pela equipe da ex-prefeita Ana Botella serão ativadas com o novo protocolo “dentro de alguns dias”.

Produto que usa bactéria para matar o Aedes está pronto desde 2006 – “G1” – 23/01/2016

O larvicida biológico que usa uma bactéria para matar as larvas do mosquito Aedes aegypti – transmissor da dengue, do chikungunya e do zika vírus – será usado no Distrito Federal a partir desta quinta-feira (21), mas já está pronto para utilização em larga escala há quase dez anos. A fórmula criada no Brasil foi registrada na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) em 2006, mas nunca foi usada de forma sistemática no país. O produto pode ser aplicado em caixas d’água, piscinas, ralos, vasos de plantas e em qualquer ambiente doméstico, incluindo reservatórios de água potável. A compra só pode ser feita, no entanto, por governos ou empresas especializadas, e não pelo consumidor comum.

EUA ganham primeira rede de fast food orgânico – “The Greenest Post” – 24/01/2016

Vez ou outra é impossível não apelar para o fast food, não é mesmo? Seja durante uma viagem ou entre uma reunião e outra no trabalho, a fome e a pressa sempre acabam falando mais alto. Para diminuir o peso na consciência toda vez que consumimos esse tipo de alimento, chega aos EUA a primeira rede de fast food orgânico: a The Organic Coup. A primeira loja da franquia foi aberta em Pleasanton, no estado da Califórnia. O principal sanduíche é composto por peito de galinha frito com óleo de coco orgânico com legumes picantes triturados, servido por menos de US$ 10. Além da comida de qualidade, a marca também se preocupa com seus funcionários, pagando salário mínimo de US$ 14 por hora trabalhada.

Imposto sobre refrigerantes ganha impulso global – “Página 22” – 24/01/2016

Um punhado de países, inclusive México, França, Finlândia e Hungria, estabeleceram impostos sobre a venda de refrigerantes para coibir o consumo de bebidas de alto valor calórico e praticamente nenhum valor nutritivo. A Finlândia cobra um valor particularmente alto, 22 euros por litro. No outro lado do espectro está o México, que estabeleceu uma taxa bem mais reduzida, de um peso por litro de refrigerante, que levou a uma elevação do preço final ao consumidor da ordem de 10%. Pode parecer pouco, mas pesquisa recente indica que os resultados iniciais da medida foram positivos. O estudo, feito pelo Instituto Nacional de Salud Pública, do México, e a University of North Carolina, avaliou o padrão de consumo de 50 mil residentes no país para avaliar os impactos da adoção da taxa. Ele indica que houve uma queda de 6% no consumo ao longo de 2014, primeiro ano do implantação, mais acentuada nas camadas mais pobres da população.

Aumenta o uso da bicicleta como transporte no Brasil – “Mobilize” – 25/01/2016

A edição de hoje do Jornal Nacional destacou a pesquisa sobre o perfil do ciclista brasileiro realizada em dez capitais do país. O trabalho revelou um crescimento consistente no número de pessoas que trocam o carro e o ônibus pelo hábito de pedalar para ir ao trabalho, à escola ou para fazer compras. Na pesquisa foram entrevistados 5012 ciclistas em Aracaju, Belo Horizonte, Brasília, Porto Alegre, Manaus, Niterói, Recife, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo, durante os meses de julho e agosto de 2015. Destaque: a maior parte dos entrevistados afirma que optou pela bike principalmente por ser “mais prático e rápido, mais barato e mais saudável”.

Jovens devem ocupar o mundo todo, e não só as escolas – “Envolverde” – 26/01/2016

Vencedor do Nobel da Paz em 2014, o indiano Kailash Satyarthi, de 62 anos, disse “tirar o chapéu” para os estudantes que lutaram contra a reorganização escolar planejada e suspensa pelo governo de São Paulo após série de protestos. Sentado no palco com um grupo de alunos da Escola Estadual Fernão Dias, o ativista que há 35 anos abandonou a engenharia para combater o trabalho infantil comparou o movimento com um episódio de sua juventude, quando foi preso e apanhou de policiais por não concordar com a imposição do inglês no currículo escolar. Em seguida, fez uma proposta: “Posso me juntar à luta de vocês? Vocês devem ocupar o mundo todo, e não só as escolas.”

ONU perde luta por fundos humanitários – “IPS” – 27/01/2016

Quando o secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Ban Ki-moon, assumiu o cargo, em janeiro de 2007, os pedidos de fundos para as emergências humanitárias mundiais chegavam a cerca de US$ 4 bilhões anuais. “Agora necessitamos de mais US$ 20 bilhões”, ressaltou nos últimos dias, enquanto mais de 60 milhões de pessoas são refugiadas dentro de seus próprios países, ou tiveram que fugir deles para serem refugiados do dia para a noite no exterior. Além disso, aproximadamente 40 dos 193 Estados membros da ONU estão envolvidos em “crise e violência de todos os níveis”, afirmou Ban. Um estudo da organização Oxfam Internacional, intitulado Corrigindo o Incorreto,aponta que dezenas de milhões de pessoas recebem ajuda humanitária a cada ano, mas outros milhões sofrem sem a ajuda e proteção necessárias.

Tecnologia pode reduzir danos e mortes por desastres que afetam 100 milhões de pessoas por ano – “ONU” – 28/01/2016

Nesta quarta-feira (27), teve início a primeira Conferência de Ciência e Tecnologia do Escritório das Nações Unidas para a Redução do Risco de Desastres (UNISDR). O encontro vai reunir mais de mil cientistas, políticos e representantes do setor privado. O diretor da agência da ONU, Robert Glasser, destacou a importância da ciência para reduzir a exposição da população mundial a fenômenos extremos, que já afetam 100 milhões de pessoas por ano. Em 2015, o número de grandes secas dobrou, atingindo mais de 35 milhões de indivíduos. “A aplicação da ciência e da tecnologia é vital para reduzir as perdas crescentes vinculadas a desastres que podem, frequentemente, piorar o potencial para lutas e conflitos em muitas partes do mundo, particularmente em lugares onde os ecossistemas estão sendo perdidos”, afirmou o diretor na véspera da Conferência.

Campanha convida cidadãos a propor soluções para nova agenda urbana da ONU – “EcoDesenvolvimento” – 29/01/2016

Caminhando na direção da Conferência das Nações Unidas sobre Moradia e Desenvolvimento Urbano Sustentável (Habitat III), e no âmbito da Nova Agenda Urbana da ONU, a Campanha Mundial Urbana convida parceiros a apresentarem suas soluções urbanas, com as informações principais da proposta. Soluções urbanas são sugestões de iniciativas, políticas, legislações e modelos que dão respostas a desafios urbanos. As propostas aplicadas, após aprovadas, contribuirão para a Cidade Que Precisamos 2.0, que é um documento-chave da Campanha Mundial Urbana para a Conferência Habitat III, que será realizada em outubro, em Quito (Equador).

OMS quer impedir restrições inapropriadas de comércio ou viagem devido ao Zika – “Reuters” – 30/01/2016

A Organização Mundial de Saúde (OMS) convocou uma reunião de emergência sobre o Zika na segunda-feira em parte para garantir que autoridades nacionais não imponham restrições inapropriadas de comércio e viagem, disse uma autoridade da OMS nesta quinta-feira. A diretora da OMS, Margaret Chan, disse mais cedo que a agência vai reunir seu comitê emergencial para debater sobre a resposta internacional ao surto de Zika vírus, que supostamente está ligado a casos de má-formação cerebral no Brasil. “Essa é uma consideração importante da diretora-geral em convocar (o encontro) para garantir que não haja medidas inapropriadas tomadas por Estados-membros em termos de viagens ou comércio. Essa é uma grande consideração da diretora-geral”, disse o diretor




Também nessa Edição nº: 204
Perfil: Riqueza de 1% da população mundial supera a dos 99% restantes em 2015
Artigo: Brasil, Pátria Educadora! Por que não?
Notícia: Livro revela espécies vegetais raras encontradas em montanhas da Amazônia
Notícia: Perseverança e microcrédito: ingredientes para ser dono de uma oficina de sucesso
Notícia: Abertas inscrições de prêmio para microempreendedores que distribuirá 40 mil reais
Oferta de Trabalho: Oportunidade de Trabalho