Mirian Mesquita

Mirian Mesquita, gerente de Responsabilidade Social e Ambiental da Porto Seguro

Mirian Mesquita, gerente de Responsabilidade Social e Ambiental da Porto Seguro

A Corporação Porto Seguro teve origem com a fundação da Porto Seguro Cia. de Seguros Gerais em 1945. Na época de sua constituição, operava em seguros e resseguros de ramos elementares. Em 1972, Abrahão Garfinkel, ex-diretor do grupo Boa Vista de Seguros, adquiriu o controle da empresa, que naquela época ocupava a 44ª posição no ranking do mercado. A Porto Seguro iniciou suas atividades com 50 funcionários e, hoje, emprega diretamente 13 mil funcionários, além de 12 mil prestadores, por meio de suas 23 empresas. Possui 135 sucursais e escritórios regionais para atender mais de 24 mil Corretores de Seguros e mais de 6 milhões de clientes em todo o país, tendo também o controle de uma seguradora com o mesmo nome no Uruguai.

A Porto Seguro adota atitudes positivas no patrocínio e apoio a diversos tipos de projetos sociais e culturais. Assim, nasce o Instituto Porto Seguro: uma entidade sem fins lucrativos, idealizada pelo Grupo Porto Seguro, que tem por missão desenvolver atividades e projetos de natureza cultural, educacional e social. Em entrevista exclusiva, a gerente de responsabilidade social e ambiental da Porto Seguro, Mirian Mesquita, conta mais sobre os projetos e ações desempenhadas pela entidade. Confira:

Responsabilidade Social – Como surgiu a proposta do Instituto Porto Seguro Socioambiental e como sua atuação evoluiu ao longo do tempo?
Mirian Mesquita – A proposta iniciou em 2005, com a abertura da Casa Campos Elíseos Melhor, que é o espaço destinado para o desenvolvimento da comunidade local, por meio de cursos de capacitação profissional, geração de trabalho e renda, e educação. Ao longo deste tempo, vários cursos profissionalizantes foram ministrados em parceira com algumas instituições, visando futura empregabilidade nos negócios da empresa, com uma média de 1.200 alunos formados durante o ano. Atualmente, há também o projeto ” Ação Educa”, que atende crianças com idade entre 6 a 14 anos, no contra turno escolar, com oficinas socioeducativas. Outro projeto do Instituto envolve os cursos de geração de trabalho e renda, destinados às pessoas que apresentam interesse em ingressar de maneira informal no mercado de trabalho. Hoje atuamos além do bairro de Campos Elíseos, pois, ao longo do tempo, percebemos a necessidade de regionalizar o desenvolvimento profissional para nossas sucursais na grande São Paulo. Esta evolução ao longo dos anos nos proporcionou um crescimento na demanda de ações para o desenvolvimento profissional de comunidades, consolidando, assim, o que hoje chamamos de Instituto Porto Seguro Socioambiental.

RS – Quais são as principais metas e desafios da instituição para 2015?
MM – Em 2015, o objetivo principal é elevar a qualidade dos serviços oferecidos. Por isso, foram revisados todos os planos de aulas dos cursos, bem como uma divisão estratégica por segmentos, sendo: Mercado Segurador – Área Técnica, Mercado Segurador – Área Comercial, Mercado Geral – Cursos de Beleza, Artesanatos e Informática. Também realizamos visitas nas áreas de negócios da Porto Seguro, para alinhar as expectativas dos empregadores em relação aos profissionais que serão indicados, além de revisar todos os processos para garantir uma gestão eficiente dos cursos. Paralelamente, também temos como objetivo realizar 2.230 entrevistas socioeconômicas, formar 1.200 alunos, potencializar a geração de renda e empregabilidade dos formados e reter, no mínimo, 75% dos alunos em curso.

RS – Como está pautada a política de responsabilidade social da Porto Seguro?
MM – Não adotamos políticas formalizadas de responsabilidade social e ambiental, mas contamos com uma diretriz que compõe estímulos e restrições de condutas inerentes ao assunto na empresa.

RS –  Você recomendaria que as empresas criassem seus próprios programas sociais ou apoiassem os já existentes?
MM – Sim, pois a responsabilidade social é um papel de todos – governo, empresas e sociedade. As empresas privadas são altamente estratégicas na reversão da desigualdade social, pois contam com inteligência de gestão, além de benefícios fiscais que, somados, contribuem de forma efetiva no alcance de resultados sociais. As empresas que não podem criar seus próprios projetos, podem desenvolver a responsabilidade social por meio da mobilização voluntária e investimentos sociais em projetos que tenham sinergia com sua missão, visão e valores. Acreditamos muito no desenvolvimento interno dos projetos sociais, pois cada empresa tem uma missão e uma visão e este assunto está atrelado a cultura de cada empresa. O desenho dos projetos precisa ter esse ” jeitinho” da empresa. Apoiamos também vários programas dentro das instituições que são homologadas por nós e via Lei de Incentivo. Recomendo que as empresas planejem seus projetos de acordo com uma temática (um pano de fundo). A da Porto Seguro, por exemplo, é a educação.

RS – Quais são os projetos socioambientais com os quais a Porto Seguro está atualmente envolvida ou realizando?
MM – Todos os projetos estão direcionados à capacitação profissional, cursos de geração de renda e educação e cidadania. O objetivo destes projetos é proporcionar melhor condição socioeconômica, por meio da valorização individual, do acesso ao emprego e educação. Outros projetos, além dos citados anteriormente são:

  • Escola empreendedora: Visa a produção de brindes artesanais sustentáveis e acabamento de uniformes, que serão produzidos por pessoas de baixa renda que tenham perfil empreendedor. O foco de produção da escola está ligado à costura. Este projeto tem como produto final a formação de um grupo produtivo, que, por meio de técnicas de design, atenderá parte da demanda de brindes da Porto Seguro e de outras empresas.
  • Captação de Recursos: Visa captar recursos financeiros a partir de contribuições de funcionários e corretores, por meio de um sistema eletrônico prático e confiável. As doações são estimuladas por meio de incentivo fiscal e também poderão ser doações livres (espontâneas), sem o benefício fiscal. O objetivo é mobilizar recursos e alavancar os processos de doação e ampliação dos projetos sociais do Instituto Porto Seguro.

RS – É possível estimar quantas pessoas foram beneficiadas pelas ações da Porto Seguro?
MM – Desde 2007, alcançamos os seguintes resultados:

  • 10.400 entrevistas socioeconômicas;
  • 6.050 alunos formados;
  • 1.160 pessoas empregadas ou gerando renda;
  • Redução de 54% nas desistências dos alunos nos últimos dois anos.

RS – Qual o seu entendimento do termo ‘responsabilidade social’?
MM – Acreditamos que o termo responsabilidade social é postura ética por parte da empresa em todas as suas atividades, bem como em sua interação com diversos públicos. A questão da responsabilidade social vai além da postura legal da empresa, da prática filantrópica ou do apoio à comunidade. Significa mudança de atitude, numa perspectiva de gestão empresarial, com foco na qualidade das relações e na geração de valor para todos.


Porto Seguro - Responsabilidade Socioambiental: (11) 3060-3355 / 3066-7767

Também nessa Edição nº: 191
Artigo: Consumo Consciente: Uma prática inevitável para a sobrevivência da humanidade
Notícia: O Nepal precisa da sua ajuda
Notícia: Concurso de monografias da ArcelorMittal Tubarão distribuirá R$ 30 mil em prêmios para alunos de Graduação e de Pós-Graduação
Notícia: O que deu na mídia (edição 191)
Notícia: VLI promove projeto “Trilhos Culturais - Jovens Multiplicadores”
Notícia: Fundação Itaú Social lança edital de apoio aos Conselhos Municipais dos Direitos da Criança e do Adolescente
Oferta de Trabalho: Oportunidades de Trabalho