O que deu na mídia (edição 188)

app_sphere_news

Emissões de CO2 param de subir no mundo pela primeira vez em 40 anos – “Globo.com” – 14/03/2015

As emissões globais de dióxido de carbono (CO2) do setor de energia pararam de subir em 2014, ao mesmo tempo em que a economia do planeta cresceu 3%. Segundo relatório da Agência Internacional de Energia (AIE), divulgado nesta sexta-feira (13), é a primeira vez que isso acontece em 40 anos — exceto em anos com crise econômica, como 1992 e 2009. De acordo com um comunicado, no ano passado as emissões do gás poluente foram de​ 32,3 bilhões de toneladas em 2014, na comparação a 2013. “É uma surpresa um tanto bem-vinda como uma das mais importantes”, disse o economista-chefe da AIE, Fatih Birol, em comunicado. “Me dá ainda mais esperança de que a humanidade será capaz de trabalhar em conjunto para combater a mudança climática, a ameaça mais importante para nós hoje.”

Aeroporto de Guarulhos lança edital para apoiar comunidades da região – “Captação” – 14/03/2015

O GRU AIRPORT, em parceria com o Instituto Invepar, publicou a segunda edição do seu Edital de Seleção de Projetos Socioambientais, que tem como objetivo o desenvolvimento socioambiental e econômico dos territórios localizados no entorno do Aeroporto Internacional de Guarulhos, no Estado de São Paulo. Não há valor limite para o apoio solicitado, e o edital disponibilizará até 3 milhões e 500 mil reais no total. Segundo observado pela ABCR no edital, serão apoiados projetos com foco temático na saúde, educação, geração de emprego e renda, arte e cultura, meio ambiente, esporte, empreendedorismo e apoio à gestão pública. O recurso solicitado pode ser inclusive para obras, e o projeto deve ter duração total de até 36 meses.

Google Brasil lança novo programa para Organizações Não Governamentais – “Setor 3” – 16/03/2015

Com o propósito de aumentar e facilitar o engajamento de organizações que não possuem fins lucrativos, o Google Brasil lançou na última terça-feira (11 de março) o Programa Google para Organizações Sem Fins Lucrativos, em seu escritório, na zona sul de São Paulo. Com a sala Maracanã repleta de representantes de ONGs, o presidente da Google Brasil, Fabio Coelho, abriu o evento falando sobre o propósito do novo programa social da empresa e a expectativa de contribuir para o progresso criativo e produtivo dessas organizações. “O programa vai apoiar o trabalho das ONGs por todo Brasil, eliminando parte das despesas e das dificuldades técnicas que elas enfrentam”, explicou Fábio.

União Européia lança chamada para apoio a projetos de Direitos Humanos – “Instituto Filantropia” – 16/03/2015

A Delegação da União Europeia no Brasil publicou edital para apoiar o fortalecimento de organizações da sociedade civil que atuam na defesa de direitos humanos. O edital conta com 1 milhão de euros (quase 4 milhões e 400 mil reais) disponíveis para financiamento de projetos, que poderão receber entre 300 mil e 600 mil euros – 1 milhão e 2 milhões de reais, aproximadamente. Será dada prioridade a projetos que apoiem a) a defesa e proteção dos direitos políticos e civis de Povos Indígenas, e/ou de Comunidades Tradicionais ou da População Afrodescendente; b) a defesa e proteção dos direitos políticos e civis da população LGBTI; e c) a defesa e proteção dos direitos políticos e civis de populações carcerárias e/ou ex-carcerárias.

Edital é voltado a organizações para formação em gestão em São Paulo – “Instituto Filantropia” – 16/03/2015

Representantes de organizações da sociedade civil que atuam em educação, cultura, saúde, assistência social, esporte e meio ambiente podem participar do edital da 13ª edição do Programa de Formação em Gestão, promovido pelo FICAS, em São Paulo. As inscrições vão até 16 de março. Esse edital é destinado a organizações da sociedade civil, não governamentais, sem fins lucrativos, de atendimento direto e que atuem nas áreas de educação, cultura, saúde, assistência social, esporte e meio ambiente. Seu objetivo principal é fortalecer o papel estratégico das organizações nas mudanças sociais, a partir da formação em conceitos de gestão organizacional. Dessa forma, conta com o apoio do Centro de Voluntariado de São Paulo na realização de uma pesquisa com organizações da sociedade civil, com a finalidade de compreender onde estão e quais são as demandas de gestão atuais.

Catástrofe socioambiental surge das cinzas – “Envolverde” – 16/03/2015

Após o incêndio que arrasou mais de 34 mil hectares de florestas, algumas milenares, na Patagônia, sul da Argentina, as autoridades deverão apagar chamas não menos graves: as novas catástrofes socioambientais que vão surgir de suas cinzas. O pior incêndio florestal da história do país demorará a ser extinto plenamente nos arredores de Cholila, um povoado entre lagos, vales e montanhas, a noroeste da província de Chubut. Seus dois mil habitantes esperam pelo início, em abril, da época de chuvas nessa região encostada na Cordilheira dos Andes e limítrofe com o Chile.

Austrália não quer solicitantes de asilo – “Envolverde” – 16/03/2015

Os conflitos no Oriente Médio e em outras partes do mundo criaram 13 milhões de refugiados, o que complica os esforços da comunidade internacional para cumprir sua responsabilidade de proteger as pessoas expulsas de seus países pela violência e perseguição. Mas na Austrália, uma nação rica, afastada das zonas de conflitos e cujos 23 milhões de habitantes gozam de um produto interno bruto por pessoa de US$ 67,458 mil, o governo implantou duras medidas políticas contra os cerca de 1% de solicitantes de asilo que esperam encontrar refúgio em seu território. Inclusive, o relator especial da Organização das Nações Unidas (ONU) para a Tortura, Juan Méndez, concluiu que o tratamento degradante dispensado pelas autoridades australianas se assemelha à tortura.

‘Republicanos terão que mudar de atitude sobre clima’, diz Obama – “Terra” – 17/03/2015

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, previu que os republicanos terão que deixar o ceticismo sobre as mudanças climáticas de lado, de forma a não perder eleitores. “Garanto a vocês que o Partido Republicano terá que mudar de abordagem sobre as mudanças climáticas, porque os eleitores irão insistir nesta questão”, disse Obama, em entrevista concedida ao site Vice divulgada nesta segunda-feira. Fazendo referência às filhas Sasha, 13 anos, e Malia, 16, Obama disse que a próxima geração será mais preocupada com o meio ambiente do que o atual eleitorado.

Drone vai ajudar municípios fluminenses a monitorar uso da água na agricultura – “Agência Brasil” – 17/03/2015

A fase de testes do Programa Rio Rural foi iniciada para preparar o monitoramento ambiental em áreas rurais fluminenses, por meio de drones, veículo aéreo não tripulado e controlado remotamente. A iniciativa é da Secretaria Estadual de Agricultura, em parceria com o governo do estado, e o objetivo inicial do projeto é fazer o mapeamento do ecossistema das áreas ciliares, próximas às margens dos rios, para planejar ações sustentáveis do uso da água na agricultura. No último dia 12, foi feito um voo experimental para marcação de rotas. Com duração de aproximada de 30 minutos, o voo foi controlado pelo pesquisador Luis Esquivel, da Universidade de Colônia, na Alemanha, uma das parceiras do projeto, por intermédio do Ministério Federal da Educação e Pesquisa daquele país.

Tóquio ‘aprende a lição’ e hoje perde só 2% da água – “Mundo Sustentável” – 17/03/2015

Apenas 19 anos após o fim da Segunda Guerra Mundial, o Japão projetava usar a Olimpíada de 1964 para mostrar ao mundo que já havia se reerguido da destruição quase completa. Para o evento, construiu, entre outras obras faraônicas, o primeiro trem-bala do mundo. Mas surgiu então um problema inesperado: as torneiras de Tóquio secaram. “Esta cidade está experimentando a falta de água mais crítica em 40 anos enquanto entra no período mais quente do verão e acelera febrilmente os preparativos para os Jogos Olímpicos, marcados para daqui a dois meses e meio”, descrevia o jornal “New York Times” em sua edição de 26 de julho de 1964. O principal reservatório de Tóquio, o Ogouchi, ficou com apenas 0,5% de sua capacidade (o Cantareira, na Grande SP, opera hoje com 14,5%).

ONU Mulheres lança convocatória para financiar propostas da sociedade civil – “Nações Unidas” – 18/03/2015

ONU Mulheres lança convocatória online para financiar propostas de organizações da sociedade civil lideradas por mulheres. As pessoas candidatas elegíveis são convidadas a dar entradas no formulário a partir desta segunda-feira (09) até 5 de abril de 2015. O Fundo de Igualdade de Gênero é um mecanismo da ONU Mulheres dedicado exclusivamente à capacitação econômica e política das mulheres no mundo. Este ano o Fundo recebe inscrições de mulheres que lideram organizações da sociedade civil com inovação, alto impacto e interessadas nos direitos das mulheres e programas de igualdade de gênero que ajudam a motivar o progresso para a Agenda de Desenvolvimento Pós-2015.

Plantas que transformam esgoto em água limpa – “Mundo Sustentável” – 18/03/2015

Uma estação de tratamento de esgoto que não exala mau cheiro nem odores? No Cidades e Soluções você vai conhecer a maior estação ecológica de esgotos do Brasil. Em Araruama, na região dos lagos, litoral fluminense, em vez de energia elétrica ou produtos químicos para tratar a matéria orgânica, apenas plantas. São elas que cuidam da parte mais importante do tratamento. São 170 litros de esgoto por segundo. Outra vantagem é a economia. Se fosse para tratar a mesma quantidade de esgoto em uma estação convencional, seriam gastos apenas com produtos químicos aproximadamente R$ 77 mil por mês. Graças ao uso de plantas, o custo é zero.

Compras públicas em África beneficiam agricultores familiares e escolas – “FAO” – 18/03/2015

Uma parceria inovadora que abarca cinco países africanos está a oferecer uma importante lição sobre como os governos podem adquirir alimentos para instituições públicas, como as escolas, diretamente dos pequenos agricultores familiares. Inspirado nas conquistas do Brasil no combate à fome e à pobreza, o Programa Comprar aos africanos para África (PAA África) ajuda a promover a produção agrícola local enquanto melhora os meios de vida e a nutrição. O PAA África, está a ser implementado pela Etiópia, Malawi, Moçambique, Níger e Senegal, com a liderança técnica e a experiência da FAO e do Programa Alimentar Mundial (PAM). Já no terceiro ano, o programa está a conseguir resultados promissores, detalhados no relatório recentemente divulgado.

Pesquisa da USP faz lixo presente nos esgotos virar concreto em São Carlos – “Globo.com” – 18/03/2015

Pesquisadores da Universidade de São Paulo (USP) em São Carlos (SP) descobriram uma maneira de aproveitar parte do lixo despejado no esgoto. Para reutilizar a areia coletada do local, por exemplo, foram experimentadas diversas misturas para fazer concreto. Nesse caso, a economia na compra de uma tonelada de areia pode chegar a R$ 500 por mês. A técnica funciona como uma grande peneira. O tratamento começa com a retirada do lixo na rede de esgoto. Durante quatro anos, os pesquisadores estudaram esses materiais na estação de tratamento de São Carlos. Cerca de 15% do que aparece durante a limpeza são plásticos, tecidos, papeis e até preservativos.

Campanha por desinvestimento em combustíveis fósseis ganha apoio das Nações Unidas – “Envolverde” – 18/03/2015

A Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (UNFCCC) aderiu às mobilizações globais pelo desinvestimento em combustíveis fósseis. De acordo com o jornal britânico The Guardian, a UNFCCC afirmou estar emprestando a sua “autoridade moral” para a campanha de desinvestimento porque compartilha da ambição por um acordo forte para combater o aquecimento global na Conferência do Clima de Paris, em dezembro. A campanha pelo desinvestimento cobra de governos, empresas e instituições a retirada de recursos de combustíveis fósseis. Os ativistas argumentam que o investimento no setor é um perigo tanto para o clima quanto para o capital dos investidores.

Salvador é a quarta capital brasileira a integrar o grupo global C40 – “Ecodesenvolvimento” – 18/03/2015

O Cities Climate Leadership (C40), grupo de 40 grandes cidades do mundo criado em 2005 com foco no combate ao aquecimento global, ganhou no dia 3 de março a inclusão da quarta capital brasileira: Salvador. As demais são São Paulo, Rio de Janeiro e Curitiba.Salvador havia solicitado a entrada nesse grupo, que hoje já conta com 75 cidades, em outubro de 2014. “A prefeitura realizou um seminário sobre resíduos sólidos em que estava presente um diretor do C40. A partir da reunião, o prefeito ACM Neto teve a ideia de pedir a entrada de Salvador no grupo”, relatou ao jornal Correio o titular da Secretaria Cidade Sustentável, André Fraga.

Conferência da ONU sobre desastres termina com acordo-base – “Terra” – 19/03/2015

Representantes de mais de 180 países conseguiram, após árduas negociações, assinar nesta quarta-feira em Sendai (noroeste do Japão) um plano de prevenção de desastres da ONU para os próximos 15 anos, que procura impulsionar a cooperação internacional para diminuir a ameaça que representa a mudança climática. A III Conferência Mundial das Nações Unidas sobre a Redução do Risco de Desastres concluiu com o acordo em torno de “sete objetivos globais” que buscam principalmente reduzir o número de vítimas e perdas econômicas. Durante o evento de cinco dias realizado na cidade japonesa afetada pelo terremoto e tsunami de março de 2011, os presentes também se comprometeram a “reforçar o apoio aos países em desenvolvimento propensos aos desastres”.

Obama assina decreto para reduzir 40% das emissões dos EUA até 2025 – “Globo.com” – 19/03/2015

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, assinou nesta quinta-feira (19) um decreto que fixa como meta reduzir em 40% as emissões de gases causadores do efeito estufa pelas agências federais dos Estados Unidos até 2025. O decreto, que também prevê o investimento em energia limpa, foi assinado após acordo de coperação com a China, acertado no ano passado. Juntos, os dois maiores poluidores mundiais se comprometeram a reduzir suas emissões de gases do efeito estufa na atmosfera. O acordo, que foi negociado durante meses pelos dois países, pretende promover um pacto em nível global, visando a Conferência sobre Mudança Climática que acontecerá em Paris neste ano.

Reino Unido criará maior reserva natural marinha do mundo – “Globo.com” – 20/03/2015

O governo britânico anunciou a criação de uma reserva natural marinha na Polinésia que, com seus 834.000 km², superfície quase igual à da Venezuela, será a maior do mundo. A reserva estará em torno das ilhas britânicas de Pitcairn, no oceano Pacífico, em uma zona que abriga mais de 1.200 espécies de mamíferos marinhos, aves marinhas e peixes. A decisão está incluída nas metas de 2015-2016, apresentadas no Parlamento pelo ministro das Finanças, George Osborne. A área protegerá uma das águas mais claras e cheias de corais do mundo.

Em decisão polêmica, Ministério Público pede paralisação de obras de ciclovias de São Paulo – “Ecodesenvolvimento” – 20/03/2015

A Promotoria de Justiça de Habitação e Urbanismo do Ministério Público de São Paulo entrou na Justiça na quarta-feira, 18 de março, com pedido de liminar para que todas as obras de construção de ciclovias na cidade de São Paulo sejam suspensas até que sejam disponibilizados estudos técnicos para a implantação da rede cicloviária no município. A liminar pede que as obras sejam paralisadas em até 24 horas, informou a Agência Brasil. Segundo a promotora Camila Mansour Magalhães da Silveira, que assina a ação civil pública, a prefeitura não enviou ao Ministério Público os projetos básico e executivo das obras, nem realizou audiências públicas para a instalação das ciclovias.

40% das reservas hídricas do mundo podem encolher até 2030, diz ONU – “Último Segundo” – 20/03/2015

Relatório da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) mostra que há no mundo água suficiente para suprir as necessidades de crescimento do consumo, “mas não sem uma mudança dramática no uso, gerenciamento e compartilhamento. Segundo o documento, a crise global de água é de governança, muito mais do que de disponibilidade do recurso, e um padrão de consumo mundial sustentável ainda está distante. De acordo com a organização, nas últimas décadas o consumo de água cresceu duas vezes mais do que a população e a estimativa é que a demanda cresça ainda 55% até 2050. Mantendo os atuais padrões de consumo, em 2030 o mundo enfrentará um déficit no abastecimento de água de 40%. Os dados estão no relatório Mundial das Nações Unidas sobre o Desenvolvimento de Recursos Hídricos 2015 – Água para um Mundo Sustentável.

Escolas municipais de SP terão de incluir alimentos orgânicos na merenda – “Planeta Sustentável” – 20/03/2015

O prefeito Fernando Haddad sancionou o projeto de lei que inclui alimentos orgânicos na merenda das escolasmunicipais. Publicada nesta quarta (18) no Diário Oficial da cidade, a regra ainda determina que, na aquisição dos suprimentos, a Secretaria de Educação dê prioridade aos produtos orgânicos ou de base agroecológica oriundos daagricultura familiar e cultivados dentro do município de São Paulo. Aprovada pela Câmara de Vereadores no dia 11/02, a lei prevê que, para a compra dos alimentos livres de agrotóxicos, a administração pública poderá pagar até 30% a mais em relação aos produtos similares convencionais. E obriga que os cardápios das escolas respeitem a sazonalidade da oferta dos alimentos orgânicos e ou de base agroecológicos.

Maior aquífero do mundo fica no Brasil e abasteceria o planeta por 250 anos – “Ambiente Brasil” – 23/03/2015

Imagine uma quantidade de água subterrânea capaz de abastecer todo o planeta por 250 anos. Essa reserva existe, está localizada na parte brasileira da Amazônia e é praticamente subutilizada. Até dois anos atrás, o aquífero era conhecido como Alter do Chão. Em 2013, novos estudos feitos por pesquisadores da UFPA (Universidade Federal do Pará) apontaram para uma área maior e nova definição. “A gente avançou bastante e passamos a chamar de SAGA, o Sistema Aquífero Grande Amazônia. Fizemos um estudo e vimos que aquilo que era o Alter do Chão é muito maior do que sempre se considerou, e criamos um novo nome para que não ficasse essa confusão”, explicou o professor de Instituto de Geociência da UFPA, Francisco Matos.

Aérea chinesa conclui primeiro voo comercial movido a óleo de cozinha – “UOL” – 21/03/2015

Uma companhia aérea chinesa completou neste sábado (21) o primeiro voo comercial do país abastecido com um biocombustível feito à base de óleo de cozinha usado, em um momento em que o governo busca promover uma sustentabilidade ambiental mais ampla. O voo da Hainan Airlines, de Xangai para Pequim, utilizou biocombustível fornecido pela companhia China National Aviation Fuel e pela gigante da energia Sinopec, de acordo com um comunicado da fabricante de aviões americana Boeing. O avião empregado, um Boeing 737, usou uma mistura 50% a 50% de querosene de aviação convencional e biocombustível feito de “óleo de cozinha usado, coletado de restaurantes na China”, acrescentou.

Dar migalhas de pão a patos pode prejudicar ecossistemas – “BBC” – 22/03/2015

Atirar migalhas de pão em uma lagoa ou em um rio é um ritual tão antigo que remonta ao século 19. Porém, de acordo com pesquisadores, uma dieta rica em pão ─ especialmente se este for feito de farinha branca (como o pão francês) ─ pode deixar as aves doentes e, em alguns casos, deformá-las. Agora, ambientalistas estão alertando sobre os perigos da prática. Segundo eles, o alimento pode estimular a proliferação de bactérias e algas nos rios – que por sua vez, podem envenenar outras espécies e também atrair animais invasores. O pão facilita a formação das chamadas algas de superfície. Esses organismos produzem nitratos e fosfatos, liberando toxinas que prejudicam os peixes e exalam mau cheiro. As algas também impedem que a luz do sol chegue a plantas subaquáticas.

Museus brasileiros participam de campanha mundial por meio de redes sociais – “Agência Brasil” – 22/03/2015

A partir de amanhã (23), até o próximo domingo, museus de diversas cidades brasileiras, como Rio de Janeiro, Petrópolis (RJ), São Paulo, Belo Horizonte e Brodowski (SP) participam da campanha mundial #MuseumWeek para promover o intercâmbio online e participação ativa dos visitantes. Os museus de Louvre, em Paris,  Metropolitan Museum of Art de Nova Iorque e o Museu da Imagem e do Som do Rio de Janeiro são algumas das instituições culturais que, via Twitter, farão hashtags com temas diferentes, a cada dia, para divulgar curiosidades e atividades sobre os museus. No primeiro dia da campanha será lançada a hashtag #secretsMW. A ideia é que os funcionários dos museus compartilhem com o público os bastidores das instituições, rotina e  curiosidades inéditas.

Bloomberg Philanthropies oferece US$100 milhões para Programa de Saúde em países em desenvolvimento – “Instituto Filantropia” – 23/03/2015

A Bloomberg Philanthropies, em parceria com o governo australiano, está lançando Dados para a Saúde, uma iniciativa de 100 milhões dólares que permitirá a 20 países de baixa renda uma melhoraria na coleta de dados de saúde pública. Cada ano, a Organização Mundial de Saúde estima que 65% de todas as mortes no mundo – 35 milhões a cada ano – não são registradas. Para milhões de mortes faltam uma causa registrada e documentada. Esta lacuna nos dados cria obstáculos importantes para a compreensão e a resolução de problemas de saúde pública. A iniciativa Dados para a Saúde visa proporcionar aos governos, organizações de ajuda humanitária, e líderes de saúde pública uma ferramenta e sistema para melhor coleta destes dados, que serão utilizados para priorizar os desafios da saúde, desenvolver políticas, implementar recursos e medir o sucesso. Nos próximos quatro anos, Dados para a Saúde visa ajudar 1,2 bilhões de pessoas em 20 países em toda a África, Ásia e América Latina a terem uma vida mais saudável e longa.

Paris implanta rodízio de veículos e transporte público gratuito para amenizar poluição – “Ecodesenvolvimento” – 24/03/2015

Para tentar amenizar os elevados níveis de poluição registrados no mês de março, a prefeitura de Paris, a capital da França, implantou o rodízio de carros e o transporte público gratuito nesta segunda-feira, 23 de março. Agentes de trânsito vigiaram as ruas da cidade e aplicaram a multa de 22 euros (cerca de 77 reais) para veículos com placa final par que circularam. Carro elétricos, híbridos a gás ou que possuíssem ao menos três passageiros não estavam inclusos no rodízio, que também colabora para reduzir os congestionamentos.

 Mostra premiará produções latino-americanas com temática socioambiental – “Envolverde” – 25/03/2015

A segunda edição da Competição Latino-Americana recebeu inscrições de 9 países, dentre curtas e longas, para concorrerem na 4ª Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental. Foram selecionados12 filmes para exibição durante a Mostra, que segue na cidade de São Paulo até 29 de março. As produções nacionais tiveram aumento significativo na participação: cinco dos filmes escolhidos são brasileiros. Outras nacionalidades contempladas são Argentina, Colômbia, Chile, México e Uruguai. São três os prêmios concedidos: melhor filme eleito pelo júri, melhor filme escolhido pelo público e menção honrosa. O público poderá votar durante as sessões. “Neste ano consolidamos a Competição Latino-Americana com a exibição de sete longas, o que reflete o amadurecimento desta produção no Brasil e na América Latina”, afirma Chico Guariba, diretor da Mostra. “A 4ª Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental também se consolida como a maior mostra temática de meio ambiente do Brasil, ao mesmo tempo em que o sudeste do país enfrenta sua maior crise ambiental.

ONGs apontam falha do governo e lançam guia para sobreviver à falta de água – “UOL” – 26/03/2015

Com o fim do período de chuvas e alguns dos principais mananciais paulistas ainda no volume morto, a Aliança pela Água — uma rede composta por quase 50 ONGs de São Paulo — criou um guia de sobrevivência à crise hídrica com dicas de economia de água. O motivo: faltam informações oficiais da gravidade do problema e da real possibilidade dos moradores do Estado ficarem totalmente sem água, na opinião de seus realizadores. “Mesmo com o cenário montado para o desastre, o governo tomou pouquíssimas medidas de precaução e não comunicou aos cidadãos que a situação era crítica. O consumo continuou crescendo e as reservas de água diminuindo. A crise explodiu e poderá demorar vários anos para ser superada”, descreve o parágrafo encontrado no primeiro capítulo “Por que está faltando água?”.

Brasil cria índice de vulnerabilidade às mudanças climáticas – “UOL” – 26/03/2015

O governo federal trabalha para criar um índice que avaliará os impactos do aquecimento global, de acordo com recortes regionais. A medida contribuirá para o Plano Nacional de Adaptação à Mudança do Clima (Plano Adaptação), que está em fase de elaboração sob a coordenação do Ministério do Meio Ambiente. Os chamados Indicadores Subnacionais de Vulnerabilidade da População à Mudança do Clima no Brasil vão considerar os aspectos regionais como conservação ambiental, dados demográficos e de desenvolvimento humano e a suscetibilidade a fenômenos extremos como tempestades e secas. Além disso, as regiões também terão incluídos em seus índices o risco de epidemias de doenças associadas ao clima, como a dengue e a malária.

UE lidera importação de produtos de áreas desmatadas – “Mundo Sustentável” – 26/03/2015

A União Europeia é a maior importadora de mercadorias retiradas de áreas ilegalmente desmatadas em florestas tropicais – mais da metade originária do Brasil. É o que revelou um estudo divulgado na terça-feira (17/3) em Bruxelas pela Fern, ONG que faz parte da coalizão europeia Forest Movement Europe. A análise, intitulada “Bens roubados: a cumplicidade da UE no desflorestamento tropical ilegal”, aponta Holanda, Alemanha, Reino Unido, França e Itália como líderes na lista negra do comércio internacional. Juntos, os países da União Europeia importaram em 2012 cerca de 6 bilhões de euros em carne, couro, soja e óleo de palma extraídos de áreas desmatadas clandestinamente em países como Brasil, Indonésia, Malásia, Paraguai, Argentina e Uruguai. O mercado de madeira ficou de fora do estudo.

‘Matamos nossos rios, não há partido que resolva’, diz Sebastião Salgado – “Mundo Sustentável” – 26/03/2015

“Matamos os nossos rios e as nossas florestas, e não há partido ou político que vá resolver isso sozinho”, atesta Sebastião Salgado. Para ele, o problema da crise hídrica brasileira é “de toda a sociedade. Todos somos seres políticos e temos responsabilidades sociais”. As ações do fotógrafo de 71 anos vão além do discurso afinado. Desde 1998, ele e sua esposa, Lélia Wanick, mantém o Instituto Terra, responsável pelo plantio de mais 2 milhões de árvores em Aimorés, no interior de Minas Gerais. De acordo com Salgado, a falta de água tem sido mais sentida agora, “mas esse problema já vem acontecendo há muito tempo. Se estivéssemos cuidando dos rios e das florestas, não estaríamos tão dependentes das chuvas para encher os reservatórios”. É este Sebastião Salgado engajado que o filme O Sal da Terra revela.




Também nessa Edição nº: 188
Perfil: Kailash Satyarthi
Entrevista: UHelp
Artigo: A importância da certificação ambiental para seu negócio
Notícia: Centro Marista de Defesa da Infância lança projeto “Brincadiquê? Pelo Direito ao Brincar"
Notícia: Instituto Terra Brasilis lança campanha "Decisão Consciente"
Notícia: Colégio Padre Machado converte multas da biblioteca em materiais escolares
Oferta de Trabalho: Oportunidades de trabalho