Índice qualifica as 100 empresas mais sustentáveis do mundo

1759-thumb-phpoNEVjE

As empresas brasileiras Natura e Brasil Foods estão nos 23º e 95º lugares

Foi lançado no dia 22 de janeiro o ranking Global 100 Most Sustainable Corporations in the World. Desenvolvido pela empresa canadense de assessoria em mídia e investimento Corporate Knights, o índice aponta quais são as 100 grandes companhias com melhores práticas de sustentabilidade corporativa no mundo.

Para determinar quais são essas empresas, o índice utiliza 12 indicadores quantitativos de sustentabilidade, entre eles: a produtividade por unidade de consumo de energia, de água e de geração de resíduos, a capacidade de inovação e a proporção do salário do CEO em relação ao do trabalhador médio.

A empresa que teve a melhor colocação neste ano foi o banco australiano Westpac Banking Corporation. Sediado em Sidney, o banco é um dos maiores fornecedores de serviços financeiros da Australásia, com uma receita anual de US$ 38 bilhões e mais de 36 mil empregados.

Segundo o Global 100, o Westpac tem uma história de liderança e inovação em sustentabilidade corporativa. Foi o primeiro banco a se unir ao Desafio do Efeito Estufa do governo australiano e a primeira instituição financeira da Austrália a criar um programa de doação para esse fim.

As outras quatro companhias que lideraram o ranking foram a norte-americana de biotecnologia Biogen Idec, a finlandesa de tecnologia e bens capitais Outotec Oyj, a gigante do petróleo norueguesa Statoil, e a desenvolvedora de softwares 3D francesa Dassault Systems.

Em se tratando de setores, o financeiro apresentou 22 empresas, seguido pelos setores de consumo e tecnologia da informação (TI), cada um com 12 companhias. Os norte-americanos dominaram a lista, com a presença de 18 firmas no Global 100. Em seguida aparece o Canadá, com 13 empresas, e o Reino Unido e a França, cada um com oito companhias no índice.

Já os mercados emergentes não marcaram presença com tanta força, apresentando apenas três posições no ranking. Destes, contudo, o Brasil se destacou, com as firmas Natura e Brasil Foods ficando nos 23º e 95º lugares, respectivamente.

Infelizmente, o país perdeu posições no índice, já que no ano anterior a Natura figurava na segunda posição, e as empresas Cemig, Vale e Banco do Brasil ainda constavam na lista. O outro mercado emergente presente no Global 100 foi a China, com uma companhia.

(Responsabilidade Social com informações do Instituto CarbonoBrasil)




Também nessa Edição nº: 172
Entrevista: Christiane Michaela Balluff
Entrevista: Ater Cristófoli
Notícia: Ranking listará as melhores gestões socioambientais brasileiras
Notícia: DF terá Cadastro Ambiental Rural