Bombeiro Amigo da Criança

A importância do leite materno

A importância do leite materno

A figura do bombeiro conta, normalmente, com a simpatia e aprovação do público – são eles que, nas piores horas, chegam para estender a mão. Acidentes, mortes e tragédias fazem parte da rotina desses homens e mulheres que escolheram como profissão, salvar vidas. Nessa mesma intenção, parte do contingente do Corpo de Bombeiros do Distrito Federal (CBDF) passou a dedicar-se exclusivamente a uma atividade bem menos arriscada, mas não menos importante: a defesa do aleitamento materno. Há muito tempo, já se sabe que esse é o alimento ideal para combater a mortalidade infantil, a desnutrição e a suscetibilidade a doenças prematuras.

Numa iniciativa pioneira, o CBDF passou a atuar junto à rede pública hospitalar do DF, em 1992, na coleta do leite materno em casas de mães doadoras. No princípio, o trabalho era bastante simples e limitado: os bombeiros apenas cediam um motorista que acompanhava uma agente de saúde até o local das doações. Ao longo dos últimos dez anos, esse trabalho se aperfeiçoou e, hoje, a corporação disponibiliza 17 bombeiros exclusivamente para a missão de estimular o aleitamento. Esse incremento na participação dos militares foi fundamental para o fantástico aumento que ocorreu na coleta de leite no DF.

Já no primeiro ano de atuação, a diferença foi sensível: em 1991, quando o trabalho ainda não contava com o apoio dos bombeiros, os hospitais receberam, em todo o DF, 4.441 litros; em 1992, com a chegada desse serviço, a coleta praticamente duplicou para 8.180 litros. Em 2001 (última estatística disponível), foram recolhidos 15.431 litros do alimento – sendo 14.009 litros provenientes do trabalho diário do CBDF. Os demais litros são doados nas maternidades dos diversos hospitais locais.

Além disso, o trabalho se ampliou de forma a que os bombeiros não apenas desempenhassem o serviço de coletar o leite doado, mas também de orientar as mães sobre aspectos essenciais nessa fase da vida. Ao visitar as casas, eles estão preparados para dar aulas sobre a importância do aleitamento materno até o sexto mês de vida da criança; sobre como superar dificuldades no aleitamento; os motivos para não desistir de amamentar em função do trabalho; falam ainda a respeito das vantagens do leite materno para o crescimento e desenvolvimento da criança; e a importância da doação de leite às crianças prematuras que se recuperam nos berçários dos hospitais. Para finalizar, os bombeiros também estão preparados para diagnosticar eventuais problemas no peito (como bico rachado). Vale destacar, que essa última atividade é desempenhada apenas por ‘bombeiras’.

Em Brasília, a população pode contar com esse serviço, 24 horas por dia, em todos os dias da semana – inclusive feriados. “Nós sabemos que esse trabalho significa a diferença entre a vida e a morte. A nossa missão acabou se tornando uma das mais importantes da nossa corporação”, avalia o tenente Átila Gomes Nascimento, um dos responsáveis pelo projeto Bombeiro da Vida. Tanta dedicação e carinho renderam aos militares um dos mais importantes reconhecimentos da área de aleitamento no mundo. Em 1998, o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) lhes conferiu o título de “Amigo da Criança”.


Em Brasília pelo número 193 ou pelo telefone: (61) 381-3971

Também nessa Edição nº: 3
Perfil: Benedita da Silva
Entrevista: Helena Bomeny
Artigo: SA 8000 – O modelo ISO 9000 aplicado à responsabilidade social*
Notícia: O que deu na mídia (Edição 3)
Notícia: Como vai a menina dos olhos de Lula?
Notícia: Lixo: fonte de vida e trabalho