Grupo Pão de Açúcar anuncia expansão do Programa de Música & Orquestra

171

Com projeto aprovado no valor de R$ 8,3 milhões, dentro da Lei de Incentivo a Cultura (Lei Rouanet), o Programa de Ensino de Musica & Orquestra, realizado pelo Grupo Pão de Açúcar (GPA), será ampliado neste ano. Realizada nas cidades de Brasília (DF), Rio de Janeiro (RJ), Osasco e Santos (SP), a iniciativa abrirá novas turmas em São Paulo.

A informação é do presidente do Instituto GPA, Antônio Salvador. “Com o incentivo será possível abrir mais duas turmas tem São Paulo, cidade que ainda não conta com o programa, com cerca de 30 alunos cada, realizar a gravação de um DVD e fazer novas apresentações”, destacou. Atualmente, o programa mantém 13 turmas e quatro orquestras.

A ação, realizada há 14 anos, já beneficiou mais de 13 mil jovens, que encontraram na música uma carreira profissional, se destacando em orquestras nacionais e internacionais. O programa não tem fins lucrativos, é oferecido gratuitamente e não é necessário nenhum investimento em material didático ou para aquisição do instrumento. Todos os recursos são oferecidos pelo instituto.

Com duração de dois anos, o programa conta com duas aulas semanais, com duração de uma hora e meia cada e acontece nos núcleos educacionais do instituto. O objetivo é trabalhar a educação musical como ferramenta para formar cidadãos, já que a música trabalha comportamento, atitude e desenvolve diversas competências, como a disciplina.

O projeto utiliza o ensino coletivo de instrumentos de cordas (violino, viola, violoncelo e contrabaixo) nas unidades do Rio de Janeiro, São Paulo, Osasco e Santos e (Metais e percussão) na unidade de Brasília para jovens entre 10 e 18 anos de idade, preferencialmente alunos de escolas públicas.

Já as orquestras sofrem alterações ao longo do ano em sua equipe de instrumentistas. Compostas exclusivamente por ex-alunos do programa, tendo jovens entre 12 e 21 anos, as mudanças fazem com que haja um ciclo entre os alunos que as compõem. Segundo a instituição, já foram realizados mais de 500 concertos em quatro países – França, Itália, Estados Unidos e Argentina – além de vários estados do Brasil, para um público de mais de 300 mil pessoas.