Vida Positiva

nova-logo (1)

Vicky Tavares, após conviver com amigos vítimas de HIV que vieram a óbito e acompanhar o forte preconceito e descaso para com os soropositivos , fundou o Instituto Vida Positiva em Brasília – DF com o objetivo de abrigar pessoas que vivem e convivem com a Aids. Desde dezembro de 2006, ela dá assistência a crianças, adolescentes e adultos de até 18 anos de idade portadores do vírus HIV, além de amparar aproximadamente 54 famílias, com auxílios alimentícios e remédios.

O Vida Positiva não trabalha mais em regime de abrigamento, só como creche. A assistência é totalmente gratuita, tendo em vista que os recursos para o desenvolvimento das atividades da ONG advêm de telemarketing, da solidariedade dos cidadãos e da venda de um produto desenvolvido pela “Vovó Vicky” e chamado de farofinha Positiva. É possível adquiri-la pelo valor de R$ 10,00 e, dependendo da quantidade, é entregue em casa pelo Instituto.

Além disso, as doações podem ser feitas por depósito bancário ou em visitas à sede, que devem ser previamente agendadas pelo telefone (61) 3034-0040. Roupas, alimentos, artigos de limpeza, fraldas e eletrodomésticos são muito bem vindos.

A triagem é feita por uma assistente social contratada pela entidade e, atualmente, as 15 crianças e dois jovens que moram na Vida Positiva também trabalham e fazem faculdade. E, como já mencionado aqui no Responsabilidade Social.com, os jovens da casa já fizeram uma exposição fotográfica no Senado Federal. A entidade fornece dois mil lanches por mês em seis hospitais públicos e em laboratórios para depois da coleta de sangue, além de incentivar a superação do preconceito para que os portadores sejam inseridos na sociedade.

A organização é vista de forma muito positiva por seus públicos, rendendo inclusive premiações para Vicky Tavares, como cidadã honorária, que faz com que os portadores do HIV se sintam parte da família. Esse sentimento fortalece o vínculo, a proposta, e por consequência, a imagem da organização.

Para saber mais sobre o Vida Positiva, assista ao vídeo abaixo:




Também nessa Edição nº: 187
Entrevista: Michelle Fiuza
Artigo: O que os consumidores esperam de suas empresas
Notícia: O que deu na mídia (edição 187)
Notícia: Mais vozes importantes unem-se à campanha do ACNUR para erradicar a apatridia
Oferta de Trabalho: Oportunidades de trabalho