Percepção ainda tímida

1600-phpKxxosE

Menos de um quarto da população está atenta a mensagens sobre responsabilidade socioambiental nas embalagens

Apenas 1 em cada 4 consumidores (24%) percebe ativamente as mensagens que dizem respeito à responsabilidade socioambiental das empresas. Essa é a constatação de um estudo inédito realizado pelo Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) e Market Analysis sobre a percepção do consumidor sobre os apelos de embalagens.

O levantamento ouviu 900 consumidores de 11 capitais, das cinco regiões do país. A pesquisa também revelou que 46% da população nunca viu e não conhece as mensagens de apelo às compras nas embalagens dos produtos. Cerca de um terço da população (30%) pouco sabe sobre a existência dessas mensagens.

A proteção ao meio ambiente prevalece como a mensagem mais saliente vista pelos consumidores nas embalagens dos produtos, totalizando pouco mais de metade das abordagens (53%). A outra metade é composta por temas variados, dentre os quais se destacam a saudabilidade dos produtos, a economia que os produtos proporcionam, a durabilidade dos produtos e a qualidade.

A reciclagem tem sido o foco das mensagens ambientais recebidas pelos consumidores, seja informando sobre o material reciclado que o produto utiliza, sobre sua destinação após o uso, ou sobre outras iniciativas realizadas pelos fabricantes nessa área.

A pesquisa apontou que, quanto mais o consumidor desconfia dos apelos ambientais, mais ele tende a enxergar o greenwashing como problema generalizado nas embalagens. Mesmo assim, metade daqueles que acreditam na informação transmitida nos rótulos, reconhece a existência de pecados de maquiagem verde nas mensagens existentes.

Confiança do consumidor

Os consumidores se dividem em três grupos: uma maioria formada por mais de metade da população que acredita de forma parcial nas mensagens (em parte ou pouco), um grande grupo que acredita efetivamente nas indicações, e uma minoria que não acredita.
Mensagens relativas à segurança dos produtos para adultos e crianças são as que atingem maior credibilidade entre a população, seguidas pelas indicações de economia dos produtos.

A mensagem que os produtos carregam somente terá influência sobre a decisão de compra se houver confiança na informação. Indicações de segurança e economia de recursos são as mensagens com maior potencial de influenciar a compra do produto.

Com relação aos possíveis agentes certificadores das indicações, os consumidores brasileiros confiam mais nas organizações internacionais e nos agentes independentes, tais como especialistas ou instituições sem vínculo de dependência com empresas. Já as associações setoriais e os próprios fabricantes despertam menor confiança.

Produtos que indicam economia de recursos, incluindo indicações de baixo consumo de energia elétrica, água, ou mesmo a redução desses recursos no processo de produção, tendem a ser frequentemente considerados no processo de decisão de compra, mesmo quando não se têm uma confiança plena sobre essas mensagens.


Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor - Telefone: (11) 3874-2162 / 2161

Também nessa Edição nº: 155
Entrevista: Marcus Saussey
Entrevista: Leandro Eustáquio
Artigo: Entidades buscam comprovar sustentabilidade de produtos
Notícia: DF avança na política de coleta de resíduos
Notícia: Indústria da construção ganha guia para nortear práticas sustentáveis
Oferta de Trabalho: Procura-se (04/2013)