O que deu na mídia (edição 208)

app_sphere_news-150x150

Resistência do gado a antibióticos pode ser transmitida para os humanos – “ONU” – 02/05/2016

A Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação, FAO, está fazendo um alerta sobre um problema que afeta a saúde animal e também dos humanos: a resistência aos antibióticos. Ao lado da Organização Mundial da Saúde, OMS, a FAO promoveu um debate sobre o tema esta semana, na sede da ONU em Nova York. A vice-diretora da agência destaca que muitos criadores estão dando antibióticos para os animais sem nenhum tipo de controle. Maria Helena Semedo lamenta que em muitos casos, os medicamentos são administrados para prevenir e não para tratar uma infecção. Isso cria resistência antimicrobial não apenas no gado, mas nas pessoas que ingerem a carne desses animais.

Brasil é quarto no mundo em acidentes de trabalho, alertam juízes – “EBC” – 03/05/2016

No Dia Internacional das Vítimas de Acidentes de Trabalho, lembrado hoje (28), a Associação de Magistrados da Justiça do Trabalho da 1ª Região (Amatra 1) alerta que o Brasil registra mais de 700 mil acidentes de trabalho por ano, o que coloca o país em quarto lugar no mundo nesse aspecto, segundo a Organização Internacional do Trabalho (OIT), atrás apenas de China, Índia e Indonésia. Para o juiz do trabalho Fabio Soares, a lei brasileira é suficientemente rigorosa para evitar acidentes, mas não é cumprida. “A legislação brasileira é super rigorosa, temos 36 normas regulamentadoras das condições de trabalho que trazem um rol exaustivo, tratam especificamente de várias atividades, como construção civil, ergonomia, luminosidade no ambiente de trabalho, as normas são muito detalhistas e detalhadas. Não é falta de norma, é falta de cumprimento e fiscalização”, analisou.

Sementes transgênicas reduzem a biodiversidade, aponta estudo da Unicamp – “Rede Brasil Atual” – 04/05/2016

Quando o assunto é agricultura transgênica, um dos principais perigos apontados por especialistas é a redução da diversidade de sementes. Por meio do vento, da chuva, pássaros e insetos, o pólen de plantas transgênicas é levado para lavouras convencionais. Nesse processo de contaminação, as sementes convencionais, também conhecidas como crioulas, vão desaparecer. O prejuízo é grande porque essas variedades, naturais, poupam o solo do desgaste ao mesmo tempo que produzem relativamente bem durante muito tempo, independentemente das condições climáticas. Indispensáveis à soberania dos agricultores em seus programas de melhoramento genético, que levam anos e até gerações, são também estratégicas para a segurança alimentar.

Ruralistas articulam nome de Evair de Melo para Ministério do Meio Ambiente – “O Eco” – 05/05/2016

Embora não oponha que o Partido Verde (PV) assuma o Ministério do Meio Ambiente, a bancada ruralista prefere que o cargo seja preenchido por um deputado filiado à Frente Parlamentar da Agropecuária, no lugar de Sarney Filho, que lidera a Frente Parlamentar Ambientalista. Sarney é um dos principais deputados ambientalistas da Câmara dos Deputados e votou contra a mudança do Código Florestal. O nome de Evair de Melo, do Partido Verde capixaba está em evidência desde que a especulação em torno de Sarney Filho ganhou as páginas dos jornais. Ontem, a Frente Parlamentar da Agropecuária divulgou no Twitter que o deputado “conta com a simpatia da bancada ruralista p/ [assumir o] Ministério Meio Ambiente”.

Após pedido da PROTESTE, Conar reitera punição à Bombril por produto com falso apelo ecológico – “Proteste” – 06/05/2016

O Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária (Conar) acatou pedido da PROTESTE e decidiu, no último dia 11 de Abril, que a Bombril deve retirar da embalagem de sua esponja de aço o termo “100% ecológico”, por falta de comprovação do apelo sustentável. Foi sugerida a substituição por 100% biodegradável. O produto é degradável, mas há outros impactos ambientaisgerados durante a produção de sua embalagem, o que não justifica anunciar-se como “Bombril Eco”. A medida reforça decisão do Conselho, de três anos atrás, após denúncia anterior da PROTESTE, e que não foi cumprida pela empresa. Também há outras esponjas no mercado com a mesma composição sem que se anunciem como “ecológicas”.

Carro deixa de ser prioridade para jovens no Brasil – “Gazeta do Povo” – 07/05/2016

A crise econômica aliada a novos hábitos de vida e consumo tem provocado uma queda significativa no volume de carteiras de habilitação emitidas no Brasil. Entre 2013 e 2015, a quantidade de novos habilitados no país caiu pela metade (53%). Houve redução em todas as faixas etárias, especialmente na de 22 a 30 anos, que chegou a 62%, e na de 31 a 40 anos, também na casa dos 60% (veja infográfico). O setor de autoescolas culpa a recessão econômica, mas os números também revelam que o carro como objeto de desejo está perdendo espaço em tempos de crescente preocupação com o meio ambiente e de relações cada vez mais restritas aos smartphones.

Unicef lança campanha de apoio a crianças em áreas de conflito – “Instituto Filantropia” – 08/05/2016

O Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) lançou nesta segunda (02/05) no Brasil a campanha Eu Sou Sofia. A iniciativa visa a dar visibilidade à situação de 250 milhões de crianças que vivem em países afetados por conflitos. De acordo com o Unicef, a menina Sofia foi criada por animadores de filmes, como Planeta dos Macacos e Avatar, a partir de 500 imagens de crianças reais de países que enfrentam situações de emergência, como Sudão do Sul, Haiti, Somália, Ucrânia, Níger e Iêmen. As doações podem ser feitas por meio do site da campanha.

MJ cria política para reduzir número de presos no Brasil – “Agência Brasil” – 09/05/2016

O Ministério da Justiça instituiu nesta segunda-feira (02/05) a Política Nacional de Alternativas Penais, com o objetivo de reduzir o número de presos no país por meio da aplicação de punições que substituam a privação da liberdade. A medida foi publicada no Diário Oficial da União e é proveniente de estudos feitos em parceria entre o Departamento Penitenciário Nacional, o Conselho Nacional de Justiça e o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento). Serão cinco eixos principais de trabalho: promoção de desencarceramento e da intervenção policial mínima; enfrentamento à cultura de encarceramento; ampliação e qualificação da rede de serviços de acompanhamento das alternativas penais, fomento ao controle e à participação social nos processos de formulação, implementação, monitoramento e avaliação da política de alternativas penais, e qualificação da gestão da informação.

Monsanto: 115 anos contra o planeta e a saúde humana – “Outras Palavras” – 10/05/2016

Sendo, atualmente, uma empresa mundial de biotecnologia agrícola especializada em sementes transgénicas e herbicidas, que tem vindo a mudar a face da agricultura e a ditar a alteração dos nossos hábitos alimentares, a Monsanto começou como um fornecedor de produtos químicos. Tentando, por todos os meios – manipulação de estudos, técnicas de marketing agressivas, entre outros -, limpar a sua imagem, a Monsanto auto intitula-se como “uma companhia de agricultura sustentável”i com o objetivo “produzir melhores alimentos para os consumidores e uma melhor alimentação para os animais”. A empresa oculta da sua históriaii “pequenos pormenores”, como as consequências profundamente dramáticas para o meio ambiente e a saúde pública da produção de PCB’s, a contaminação de vietnamitas e veteranos de guerra com o Agente Laranja ou a toxicidade do Roundup, o herbicida que se transformou numa mina de ouro.

Novos dados aumentam conta do clima do país – “Observatório do Clima” – 11/05/2016

O Brasil atrasou, mas fez o dever de casa e enviou às Nações Unidas sua Terceira Comunicação Nacional, que contém o novo inventário brasileiro de gases de efeito estufa. O inventário, realizado pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, será lançado nesta sexta-feira em Brasília. Ele dá o número oficial de emissões do Brasil em 2010 – 1,2 bilhão de toneladas de CO2 equivalente, excluindo da conta cerca de 390 milhões de toneladas que o governo considera serem “removidas” anualmente por florestas em unidades de conservação e terras indígenas – e reajusta as emissões de 2005, ano em que o Brasil mais emitiu, para 2,73 bilhões de toneladas.

Repúdio contra acordo de Mariana – “Greenpeace” – 12/05/2016

Em 05 de novembro de 2015, o povo brasileiro foi vítima do maior crime socioambiental já vivenciado na história desse país, com o rompimento da barragem de rejeitos de minério da Vale/Samarco/BHP, dando início a um desastre que tem causado impactos incalculáveis em Minas Gerais, Espírito Santo e Bahia. Em março do presente ano, as empresas elaboraram com os governos federal, estaduais (ES e MG) e órgãos públicos (IBAMA, ICMBio, ANA, FUNAI, DNPM) um acordo que visa à reparação, mitigação e compensação dos prejuízos decorrentes do rompimento. O processo de elaboração do acordo, contudo, deixou de permitir a participação das atingidas e atingidos, interessados diretos na reparação dos danos, o que sinaliza que as empresas responsáveis e o Estado enxergam atingidas e atingidos como objeto e não como sujeitos de direito.

O procurador que laçou o desmatamento – “O Eco” – 13/05/2016

No fim de janeiro, a reportagem de ((o))eco partiu numa expedição jornalística ao Pará, com o objetivo de compreender as origens e os principais efeitos do chamado TAC da Carne, o acordo do Ministério Público Federal com os grandes frigoríficos operando na Amazônia, que os obrigou a combater o desmatamento nas fazendas de onde compravam gado para abate. Apesar de ser um assunto à primeira vista árido, sua investigação revela traços marcantes do crescimento da pecuária no Pará, a principal causa da derrubada de matas no estado. A reportagem encontrou personagens que relembram a década de 70 e 80, em que o governo federal incentivou a ocupação da Amazônia através do desmatamento;

Amazônia ganha novo sistema de vigilância – “Observatório do Clima” – 14/05/2016

A Amazônia acaba de ganhar um novo sistema de monitoramento por satélite, que finalmente une as características dos dois sistemas oficiais existentes: rapidez e alta resolução. Batizada Deter B, a tecnologia permite acompanhar o ritmo da devastação em tempo quase real, mas também possibilita enxergar desmatamentos pequenos, que hoje respondem pela maior parte das derrubadas na floresta. Com isso, não será mais preciso esperar um ano para saber qual é a taxa acumulada de perda de vegetação.

Hidrelétrica no Tapajós faz explodir desmatamento ilegal e conflitos por terra – “Rede Brasil Atual” – 15/05/2016

Quando cai a noite no Projeto de Assentamento (PA) Areia, a quarenta quilômetros do município de Trairão, no oeste do Pará, o silêncio é cortado pelo barulho de motos rodeando a casa de Osvalinda e Daniel Pereira. Homens armados e encapuzados intimidam o casal, a mando de madeireiros daquela região da Amazônia. Plantadores de frutas, os Pereira estão jurados de morte por não colaborarem com a extração ilegal de árvores de alto valor comercial.

Montadoras estão na mira do clima — e podem perder bilhões – “Exame” – 16/05/2016

Ao escândalo das emissões da Volkswagen, revelado em setembro passado, seguiu-se uma avalanche de tragédias corporativas: mais de 16 bilhões de euros em despesas para financiar o recall de milhões de carros e ações judiciais; a saída do ex-CEO global, Martin Winterkorn, e do presidente da empresa nos Estados Unidos, Michael Horn; além de um prejuízo líquido de 1.58 bilhão de euros em 2015, em comparação com o lucro líquido de 10.85 bilhões de euros no ano anterior.

Mais de 80% em centros urbanos vivem com ar poluído, diz OMS – “ONU” – 17/05/2016

A Organização Mundial da Saúde, OMS, alertou que mais de 80% da população urbana mundial vive em áreas com alta taxa de poluição do ar. A informação consta do 3º Relatório Global sobre o assunto, lançado esta quinta-feira pela agência da ONU. Segundo os especialistas, a poluição do ar representa o maior risco ambiental à saúde. Ela é responsável por mais de 3 milhões de mortes prematuras no mundo todos os anos. Segundo o documento, 98% das cidades dos países de baixa e média rendas, com mais de 100 mil habitantes, apresentam índices de qualidade do ar piores do que o estipulado pela OMS. No caso dos países ricos, a taxa das cidades que registram ar poluído caiu para 56%.

Rio, recordista de tuberculose em tempos olímpicos – “Pública” – 18/05/2016

Eis um recorde que a Cidade Maravilhosa se empenha em esconder: além de ter uma taxa de incidência de tuberculose bem acima da média nacional (82 casos por 100 mil habitantes), a taxa de mortalidade pela doença é a mais alta entre todas as capitais do país – 6,9 mortes por 100 mil habitantes, o dobro da média das capitais brasileiras. Foram 440 pessoas mortas na capital e 840 em todo o estado pela doença em 2014, segundo os dados mais recentes publicados pelo Ministério da Saúde.

Em São Paulo, aumento de ciclistas lota bicicletários – “Mobilize Brasil” – 19/05/2016

Um sinal evidente de mudança. Em São Paulo, está cada vez mais difícil encontrar lugar nos bicicletários fechados. A expansão da rede cicloviária da cidade – que aumentou a segurança de quem quer pedalar – está trazendo mais e mais novos ciclistas para as ruas. São especialmente mulheres e crianças, mas também pessoas mais idosas, senhores e senhoras de cabelos brancos, com bicicletas de todos os tamanhos, marcas e modelos. Nesta terça-feira, dois jornalistas do Mobilize foram até o centro velho da cidade e, como sempre fizeram, foram deixar suas bikes no bicicletário da estação Sé do metrô. Mas, surpresa, não havia nenhuma vaga.

Prêmio Itaú-Unicef oferece curso gratuito sobre mobilização de recursos – “Unicef” – 20/05/2016

Encerram-se no dia 17 de maio as inscrições para o primeiro curso oferecido pelo Prêmio Itaú-Unicef em 2016. Com o tema “Mobilização de recursos: conquistar e manter”, o treinamento tem duração de 20 horas e é gratuito. O objetivo é contribuir para que as organizações da sociedade civil aperfeiçoem o relacionamento com parceiros financiadores e que, nesse processo, ambos se reconheçam como agentes da transformação social. Para ocupar uma das 300 vagas, é preciso ter: e-mail de fácil acesso, dentro e fora da instituição em que atua; disponibilidade para aprender a navegar e estudar por meio de ferramentas de Internet; disponibilidade para estudar em média três horas por semana e interagir com mediador e colegas por meio da escrita de e-mails e mensagens em fórum; e disciplina para organização de tempo pessoal para fazer atividades, elaborando e compartilhando textos, cumprindo prazos estabelecidos para leituras e entrega de atividades.

Cidades vulneráveis ao clima – “Eco Desenvolvimento” – 21/05/2016

A organização Christian Aid lançou recentemente um novo relatório, o qual revela quais cidades do mundo têm maior risco de futuras inundações costeiras. O estudo intitulado Act Now Or Pay Later: Protecting a billion people in climate-threatened coastal cities mostra que mais de um bilhão de pessoas estão expostas a inundações costeiras até 2060 por causa da combinação do aumento do nível do mar, das tempestades e de condições meteorológicas extremas. Segundo o levantamento, as pessoas que vivem em três dos maiores poluidores do mundo são as que estão em maior risco: China, Estados Unidos e Índia.

“Temer vai tocar uma agenda antiambiental pesada” – “El País” – 22/05/2016

O jornalista e escritor Claudio Angelo transformou sua década e meia de experiência cobrindo a complexa engrenagem política e ambiental em torno da crise climática em A espiral da morte, lançado em março pela Companhia das Letras. O apreço pela abrangência e o sarcasmo presentes na obra ele usa para, na entrevista abaixo concedida por e-mail, fazer tanto um balanço do Governo Dilma Rousseff em matéria de meio ambiente como uma previsão sombria do mandato do interino Michel Temer na área. Angelo é diretor de comunicação do Observatório do Clima, uma rede de 41 organizações da sociedade civil, e está acostumado a seguir as negociações em Brasília.

STF garante rotulagem de qualquer teor de transgênicos, fruto de ação do Idec – “Idec” – 23/05/2016

O direito dos consumidores brasileiros à informação sobre transgênicos volta a prevalecer. Em decisão proferida no último dia 12, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Edson Fachin manteve a decisão obtida pelo Idec e voltou a garantir a indicação no rótulo de alimentos que utilizam ingredientes geneticamente modificados, independentemente da quantidade presente. A exigência estava suspensa desde 2012, por uma decisão liminar (provisória) do ministro Ricardo Lewandovski, do STF, que atendeu ao pedido da União e da Associação Brasileira de Indústria de Alimentos (Abia) contra a decisão do Tribunal Regional Federal da Primeira Região (TRF-1), que foi favorável à ação do Idec.

Em três anos, Curitiba ganhou três vezes mais áreas verdes que em duas décadas – “Prefeitura de Curitiba” – 24/05/2016

Curitiba ganhou desde 2013 três vezes mais áreas de conservação do que nos 20 anos anteriores. Enquanto de 1993 a 2013 foram implantados 2,5 milhões de metros quadrados de áreas preservadas, nos últimos três anos as novas unidades de conservação somam 8.969.000 metros quadrados. São sete novas unidades, entre parques e bosques, localizados principalmente na região sul da cidade, conforme compromisso assumido pela atual gestão municipal em seu plano de governo.

Goiânia aprova proibição da produção e comércio do foie gras – “Fórum Nacional de Proteção em Defesa Animal” – 25/05/2016

A cidade de Goiânia tornou-se a segunda capital brasileira a aprovar legislação que proíbe a produção e venda de produtos alimentícios obtidos com o uso da prática de alimentar animais de forma forçada. A lei se aplica ao foie gras, ou patê de fígado gordo. “Estamos em festa. Mais uma vez, nós unimos forças com nossas afiliadas e conquistamos a aprovação de mais uma lei que vai poupar muitos animais de enorme sofrimento”, disse Elizabeth Mac Gregor, diretora do Fórum Animal. A lei 9.818, que entra em vigor imediatamente, determina que os estabelecimentos da capital do estado de Goiás que desrespeitarem a lei ficarão sujeitos a interdição, cancelamento de licença, apreensão e incineração de mercadoria e multa.

Após criar moeda própria, cidade do Piauí não registra assalto há um ano – “G1” – 26/05/2016

A cidade piauiense de São João do Arraial, com apenas 7.337 e que fica localizada a 253 km de Teresina, não registra homicídio e assaltos há pelos menos um ano, mesmo com o efetivo policial sendo de apenas três homens. Segundo os moradores e a polícia, o motivo de tanta calmaria seria a criação da própria moeda que movimenta a economia da cidade, o “cocal”. A vida no pequeno município é bem diferente da maioria das cidades. A tranquilidade que é motivo de orgulho para os moradores. “Me sinto segura, a gente anda a noite, anda de bicicleta na rua e é bom demais”, disse a aposentada Cesarina Borges.

Holanda fecha presídios por falta de presos (e os usa para abrigar refugiados) – “The Greenest Post” – 27/05/2016

A Holanda desativou 19 presídios, simplesmente, porque não há presos suficientes para ocupá-los. A novidade agora é que o governo decidiu usar esses espaços para abrigar os centenas de refugiados que chegam, todos os dias, ao país em busca de oportunidades. São homens, mulheres e crianças do Oriente Médio e da África que arriscam suas vidas e atravessam o oceano para fugir da violência dos conflitos armados que acontecem nas regiões onde moram – seja por motivos políticos, étnicos e/ou religiosos. Eles merecem um lugar digno para ficar, não? 12 dos 19 presídios desativados no país já estão sendo ocupados por refugiados. A aparência dos lugares, claro, poderia ser melhor. Dormir dentro de celas, ainda que destrancadas, não deve ser a melhor das sensações. Mas já é uma ajuda e tanto para recomeçar a vida.

80% da água consumida na China está contaminada – “The Greenest Post” – 28/05/2016

Quando o assunto é a qualidade do ar, a situação (nada favorável) da China já é conhecida de todos. Mas estudo recente dá destaque a um novo problema, tão grave quanto: a poluição hídrica. Mais de 80% de toda a água do país está contaminada. Feito a partir de amostras de mais de 2 mil poços, de diferentes regiões, o estudo abrange as principais fontes de água da população chinesa e atesta: o recurso utilizado pelos cidadãos não é seguro para tomar banho — e muito menos para ingestão. O problema não é novidade para a população. Ainda em 2011, o governo criou um plano para acabar com a poluição das águas subterrâneas até 2020. Mas relatório publicado em 2014 comprovou que os objetivos do plano ainda estão longe de serem atingidos.

Uruguai tem a primeira escola pública 100% sustentável da América Latina – “Ciclo Vivo” – 29/05/2016

A “Ecoescola Sustentável” é a primeira instituição pública de ensino feita de forma totalmente sustentável na América Latina. O prédio que abriga a escola foi construído por voluntários, seguindo os conceitos da bioarquietura, que utiliza materiais que iriam para o lixo e aproveita as condições naturais para reduzir os impactos da construção. O arquiteto que assina o projeto da Ecoescola Sustentável é o norte-americano Michael Reynolds, criador do conceito Earthship, que há 45 se dedica às edificações autossustentáveis em diversos lugares do mundo.

Fundação BB lança edital para projetos em UC na Amazônia – “Fundação Banco do Brasil” – 30/05/2016

Já estão abertas as inscrições para o Edital Ecoforte Extrativismo, iniciativa da Fundação Banco do Brasil, com apoio financeiro do Fundo Amazônia, gerido pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Com investimento social de R$ 8 milhões, a iniciativa visa apoiar empreendimentos coletivos nas fases de produção, beneficiamento ou comercialização de produtos extraídos por meio de práticas sustentáveis na floresta. O objetivo é contribuir para a inclusão socioprodutiva das comunidades e a preservação do bioma em seis estados: Acre, Amazonas, Amapá, Maranhão, Pará e Rondônia.

Prêmio reconhece projetos de combate à seca – “Ministério do Meio Ambiente” – 31/05/2016

Termina no dia 31 de maio o prazo para as inscrições para o programa Dryland Champions, que recebe projetos que contribuem para o manejo sustentável de solos nas áreas suscetíveis à desertificação no Brasil. Neste ano, o slogan é: “Proteger a Terra. Restaurar os Solos. Envolver as pessoas”. Promovido pela Convenção das Nações Unidas de Combate à Desertificação (UNCCD, sigla em inglês), em parceria com o Ministério do Meio Ambiente (MMA), o programa contemplará os vencedores com certificados em evento promovido pelo Ministério do Meio Ambiente durante as comemorações pelo Dia Mundial de Combate à Desertificação, em 17 de junho.




Também nessa Edição nº: 208
Entrevista: Alessandra Moura
Artigo: A importância da participação no ENEM e nos vestibulares
Notícia: 86% das mulheres brasileiras já sofreram assédio em público
Notícia: Fundação Tide Setubal realiza seminário internacional para discutir políticas públicas nos territórios das grandes cidades
Notícia: Cidadão poderá fiscalizar uso de recursos públicos pelo celular