O que deu na mídia (edição 203)

app_sphere_news

O Futuro do Cerrado que queremos – “Envolverde” – 01/12/2015

O Cerrado, savana mais rica em biodiversidade no planeta, está ameaçada pelo desmatamento para expansão da fronteira agrícola. No período de 2010 a 2011, a região sofreu 12% a mais de perda da vegetação natural. Os dados foram anunciados no dia 25 de novembro, pelo Ministério do Meio Ambiente, e são resultados do Projeto de Monitoramento do Desmatamento dos Biomas Brasileiros por Satélite (PMDBBS), que indicam, ainda, que 66% da degradação das áreas nativas está concentrada, principalmente, na região MATOPIBA – estados do Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia.

Financiamento é ponto de discórdia entre países: quem paga a conta? – “UOL” – 02/12/2015

Os países emergentes e em desenvolvimento elevaram o tom nesta quarta-feira sobre a questão-chave dos financiamentos, reclamando compromissos claros dos países do norte na Conferência do Clima de Paris (COP21). “O nível dos apoios financeiros que serão dados pelos países desenvolvidos aos países em via de desenvolvimento após 2020”, data da entrada em vigor do futuro acordo, deve ser “esclarecido”, alertou o grupo “G77+China”, que reúne 134 países, numa declaração a Laurent Fabius, presidente da COP. O grupo “G77+China” pede também a partir de 2020 “um aumento substancial” do aporte de 100 bilhões de dólares anuais prometido pelos países ricos, segundo esta declaração transmitida à imprensa. Terceiro ponto de discordância: os países desenvolvidos querem que os mais ricos entre os emergentes contribuam mais para ajudar financeiramente os países do Sul. Mas eles se referem, em sua declaração, à Convenção do Clima da ONU que estipula as ajudas financeiras que cabem aos países ricos.

Para reduzir poluição, NY quer maior frota de carros elétrico dos EUA – “G1” – 03/12/2015

O prefeito de Nova York, Bill de Blasio, anunciou nesta terça-feira (1) seus planos para construir o que chamou de maior frota municipal de automóveis elétricos dos Estados Unidos, visando reduzir as emissões do tráfego na cidade. O programa “NYC Clean Fleet” prevê reduzir as emissões de gases poluentes dos veículos em 80% até 2035. Bill de Blasio informou que pretende substituir 2 mil automóveis do município que funcionam com combustíveis fósseis por veículos elétricos nos próximos 10 anos, com o objetivo de reduzir o consumo de gasolina em 2,5 bilhões de galões por ano. “Com a construção da maior frota municipal de veículos elétricos do país – e potencialmente do mundo – a cidade de Nova York continua dando exemplo”, disse o prefeito. “As cidades estão marcando o ritmo da ação contra o aquecimento global e com o futuro da nossa cidade e do nosso planeta em jogo, precisamos que em Paris os líderes tomem nota e ajam”, afirmou De Blasio sobre a cúpula do clima na capital francesa.

Jovens criam espaços vivos de aprendizado dentro das ocupações – “Portal Aprendiz” – 03/12/2015

A manhã de terça-feira começou agitada na EE Maria José, no bairro da Bela Vista, zona central de São Paulo. O chefe de gabinete da Secretaria de Educação do Estado de São Paulo (SEE-SP), Fernando Padula, esteve pela manhã nos portões da escola com o diretor, membros da diretoria regional de ensino, familiares e estudantes contrários à ocupação, arregimentados na noite anterior para acabar com a movimentação estudantil no local, dando uma expressão prática para a “guerra de informações” proposta na reunião da SEE. Os cadeados que travavam o acesso à escola foram rompidos. Pais de alunos arremetiam verbalmente – e até fisicamente – contra os estudantes ocupados. “Eu sei que dá vontade de bater, mas a gente não pode porque é menor”, explicava uma mulher que se identificou como mãe e avó. “Menor para apanhar não pode, mas para matar e roubar pode”, respondia outra mãe, antes de se lançar contra um bloqueio de estudantes. Um vizinho da escola, identificado como pai de aluno, ameaçava os meninos e meninas.

Estudo indica que Zika vírus está cada vez mais eficiente para infectar humanos – “FAPESP” – 04/12/2015

Durante o caminho que percorreu do continente africano até a América – passando pela Ásia e cruzando o oceano Pacífico –, o Zika vírus (ZIKV) passou por um processo de adaptação ao organismo humano, adquirindo certas características genéticas que tornaram cada vez mais eficiente sua replicação nas células do novo hospedeiro. A conclusão é de um estudo divulgado no site bioRxiv (pronuncia-se “bio-archive”) por pesquisadores da Universidade de São Paulo (USP) e do Institut Pasteur de Dakar, no Senegal, que chamam a esse processo adaptativo do vírus de “processo de humanização”. “O ZIKV é um agente zoonótico africano que infecta principalmente macacos e mosquitos. Estudos anteriores sugerem que teriam ocorrido casos esporádicos de infecção em humanos no passado e o vírus teria saído da África por volta da segunda metade do século 20.

Brasileiros pagaram R$ 6 bilhões a mais na conta de luz em 2015 – “Greenpeace” – 04/12/2015

Há algum tempo, a cada conta de luz que chega em nossas casas, vemos seu valor subir e subir, sem parar. Até tentamos apagar uma luz aqui, desligar um aparelho ali, mas a conta teima em ficar mais cara. Quase R$ 6 bilhões foram desembolsados pelas residências brasileiras durante 2015 só para pagar a bandeira tarifária – que desde que começou a valer, em janeiro, nunca saiu do vermelho. Pelas cores verde, amarelo e vermelho, a bandeira tarifária indica a cada mês a situação da geração de eletricidade no país. Quando muitas usinas térmicas, movidas a combustíveis poluentes, como o diesel e o óleo combustível, são acionadas, o custo para gerar eletricidade é mais alto. A bandeira, então, fica vermelha e esse custo é repassado aos consumidores.

Blumenau proíbe produção de foie gras com patos e marrecos – “G1” – 05/12/2015

A partir de agora, avicultores terão que se adequar à legislação municipal para produção de patos e marrecos em Blumenau, no Vale do Itajaí. Foi aprovada uma lei que considera infração gravíssima a utilização de métodos de alimentação forçada de animais para produção de patê de fígado. Segundo o veterinário Luis Carlos Kriewall, o método de produção de foie gras (patê de fígado em francês), uma iguaria típica da culinária francesa, envolve o hiperdesenvolvimento do órgão a partir da alimentação em excesso. Além de Blumenaui São Paulo e Sorocaba (SP) também proibiram a produção. O projeto de lei foi elaborado pela vereadora Evelin Hussel, para quem a aprovação é simbólica, “mostra que Blumenau está transmitindo sua mensagem de intolerância ao sofrimento dos animais”, diz. Representantes de organizações não governamentais (Ongs) para proteção dos animais participaram do evento que marcou a sanção da lei, no último dia 27 de novembro.

MPF diz que a Vale jogava mais rejeito em barragem de MG do que declarou – “Ideias Livre” – 06/12/2015

No dia 24 de novembro, a Vale admitiu que utilizava a barragem de Fundão. Mas afirmou que apenas 5% do volume total eram despejado por ano no local. De acordo com o documento, em 2014, o total de rejeitos líquidos jogados na barragem de Fundão passou de 18 milhões de m³. A Vale foi responsável por 28% desse total. Os técnicos do DNPM vistoriaram a barragem de Fundão, que se rompeu no dia 5 de novembro, e a mina da Vale, que fica ao lado. O documento mostra que os rejeitos produzidos pela empresa eram levados até fundão por meio de tubos. Em 2013, a empresa lançou o equivalente a 15,5% do volume. Em 2012, este número era 11,8%.

Os desastres naturais não são tão naturais – “El País” – 07/12/2015

Na terça-feira, 24 de dezembro de 2013, às duas da madrugada, um policial vestido à paisana deparou com alguns vizinhos que interrompiam uma rua em Flores, o bairro de Buenos Aires em que nasceu o papa Francisco. O agente, fora de serviço e enlouquecido, sacou sua pistola de 9 milímetros e disparou, matando um dos integrantes do piquete, Ángel Duarte, de 40 anos. A história desta morte tem a ver com o abuso de autoridade, mas também com o aquecimento global. Uma onda de calor açoitou o norte e o centro da Argentina entre o fim de 2013 e o início de 2014. Foi o dezembro mais quente desde que há registros, com as temperaturas mais de 2,5 graus acima da média de referência 1961-1990. O Serviço Meteorológico Nacional decretou alerta vermelho em Buenos Aires devido à onda de calor.

Subprocuradora diz que houve negligência e omissão da Samarco em Mariana – “EBC” – 08/12/2015

As causas e os impactos do rompimento da barragem de rejeitos de mineração da Samarco, empresa controlada pela Vale e pela BHP Bilinton, em Mariana (MG) ainda estão sendo investigados. A subprocuradora-geral da República, Sandra Cureau, afirma que já é possível dizer que houve “negligência e omissão” da empresa no caso. Em entrevista à Agencia Brasil, a coordenadora da Câmara de Meio Ambiente e Patrimônio Cultural do Ministério Público Federal disse que há vários indícios de descuido, como a falta de um plano de contingência e de controle técnico sobre o volume que a barragem de rejeitos suportava. “A coisa foi tão negligenciada que nem a Samarco sabia exatamente o que estava acontecendo. Eles chegaram a falar em duas barragens rompidas, mas só se rompeu a de Fundão. Quer prova maior de negligência que isso?”

Indústria do fracking abre falência nos Estados Unidos – “Não Fracking Brasil” – 09/12/2015

“Não há mais com esconder a farsa da pujança financeira do fracking nos Estados Unidos”. A afirmação é do coordenador nacional da COESUS – Coalizão Não Fracking Brasil – Dr. Eng. Juliano Bueno de Araujo, diante da onda de falências de empresas ligadas à indústria do hidrocarboneto, principalmente as que fazem fraturamento hidráulico, o fracking, que permite retirar petróleo e gás de formações rochosas de xisto. Segundo recente reportagem do Wall Street Journal, a maioria das prestadoras de serviço que ajudam a indústria de petróleo a perfurar e fraturar poços nos EUA é de pequeno porte, de capital fechado e poucos anos de operação. Elas estão às voltas com os preços baixos do petróleo e, juntamente com suas concorrentes, já demitiram 55 mil pessoas ao redor do mundo durante a crise atual.

Arrecadações recordes no Teleton são resultado de nova tecnologia – “Instituto Filantropia” – 09/12/2015

Associação de Assistência à Criança Deficiente e a Pagtel, empresa de pagamentos móveis, pioneira no Brasil, desenvolveram uma plataforma inédita de doações, via SMS, para o Teleton 2015, o maior evento de captação de recursos da televisão brasileira. Durante os dois dias de programação foram arrecadados mais de R$ 500 mil reais por meio de mensagens de texto. Pioneira no mercado brasileiro, a tecnologia permite que a doação seja cobrada apenas no cartão de crédito do doador, o que evita novas cobranças na conta de telefonia ou o consumo dos créditos de pré-pago dos usuários. A plataforma continuará disponível para doações e, para isso, basta o doador enviar a letra “T” via SMS para o número 28127. A mensagem é gratuita e clientes de qualquer operadora podem participar. O sistema enviará mensagens conduzindo o passo a passo do cadastro do cartão de crédito até a conclusão da doação, que poderá ser realizada nos valores: R$ 10,00; R$ 15,00; R$ 20,00 ou outras opções, com o valor mínimo de R$ 5,00.

Crise hídrica global leva empresas a perderem US$ 2,5 bi – “Revista Página 22” – 10/12/2015

O Carbon Disclosure Project (CDP) acaba de divulgar o relatório “Accelerating Action“, sexta publicação anual de uma série que mapeia como as principais empresas de capital aberto gerenciam os recursos hídricos. A pesquisa recolheu dados de 405 corporações, 38% das empresas listadas em bolsa em nível global. O documento, de 64 páginas, é importante por compartilhar detalhes de como elas estão se preparando para enfrentar a crescente escassez de recursos hídricos em diversos mercados, inclusive o brasileiro. A entidade também disponibiliza um resumo de oito páginas e um site onde é possível obter informações separadas por país, exemplos de boas práticas e detalhamento dos impactos negativos já observados pelas empresas. A ONG, que se notabilizou por dar visibilidade à pegada de carbono empresarial, representa 617 investidores institucionais que administram US$ 63 trilhões em ativos. O estudo sinaliza que os grandes investidores estão cada vez mais interessados no nível de sustentabilidade das empresas listadas nas bolsas de valores, cientes de que há uma conexão entre seu desempenho socioambiental e evolução do preço de suas ações.

1,3 bilhão de pessoas ainda vivem na escuridão – “Brasil Engenharia” – 10/12/2015

Ainda há mais de 1,3 bilhão de pessoas sem acesso à energia no mundo, informou a vice-presidente da Schneider Eletric para a América do Sul, Tania Cosentino, na manhã desta quinta-feira, 09, durante evento paralelo à COP 21, em Paris – uma iniciativa da Schneider com o apoio do Diálogo Energético e do World Businesss Council for Sustainable Development (WBCSD), representado no Brasil pelo CEBDS. “Gerar desenvolvimento e levar energia a todos e, ao mesmo tempo, proteger o planeta, é um grande desafio”, disse Tania Cosentino durante painel sobre “Como a América do Sul está enfrentando o dilema da energia – uma análise do que os países estão levando à COP 21”, do qual a presidente do Conselho Empresarial para o Desenvolvimento Sustentável (CEBDS), Marina Grossi, foi mediadora.

Economia está refém da crise política – “IPS” – 11/12/2015

“A economia do Brasil está refém da crise política”, impedindo qualquer tentativa de melhora pelo menos nos próximos dois trimestres, afirmou Luis Eduardo de Assis, ex-diretor do Banco Central.Por outro lado, acredita-se que uma maior deterioração econômica favoreça o impeachment da presidente Dilma Rousseff, um possível desenlace das disputas políticas que paralisam o país. Por isso a oposição procura atrasar o processo, enquanto o governo luta para acelerar os trâmites.Tem sentido, porque o primeiro e o último trimestres do ano já são usualmente períodos de baixa atividade econômica, e tudo deve continuar se agravando “pela inércia negativa da recessão econômica”, apontou Assis, atualmente professor de economia na Pontifícia Universidade Católica (PUC) e na Fundação Getulio Vargas (FGV), em São Paulo.

Arábia Saudita se destaca como país que mais entrava acordo do clima – “Programa Cidadania” – 11/12/2015

As negociações para o acordo do clima em Paris estão travadas há mais de 24 horas, e aArábia Saudita, como era esperado do maior exportador de petróleo do mundo, é o país que mais tem trabalhado para atravancar as negociações. Delegados que atuam como observadores na COP relatam diversas manobras de representantes do país na COP 21. Entre as interferências retrógradas que o país fez na conferência estiveram bloquear a adoção de metas de aumento de temperatura menores para o planeta e tentar impedir a revisão das promessas de corte de emissão em uma escala mais rápida. A coalizão ambientalista Climate Action Network, que reúne mais de 900 ONGs e possui vários observadores na COP 21, entregou todos os dias, desde o primeiro dia da COP 21, o antiprêmio “Fóssil do Dia”, criticando as nações e entidades que mais contribuíram para que o reinado dos combustíveis fósseis continue. A Arábia Saudita ficou em primeiro lugar três vezes em Paris.

Não se deve morder a mão que alimenta – “Envolverde” – 12/12/2015

Quando Evelyn Nguleka alerta que a população mundial não deve morder a mão que lhe dá de comer, acrescenta que não se refere apenas à proteção dos agricultores, mas também à do ambiente. “A terra nos alimenta e os agricultores se encarregam de alimentar o mundo. Temos que proteger ambos”, afirmou a presidente da Organização Mundial de Agricultores (OMA) e da União Nacional de Agricultores de Zâmbia. “Não somos apenas parte do problema, mas também somos parte da solução, e isso é crucial”, destacou Nguleka em uma mesa-redonda de alto nível realizada no dia 9, durante a 21ª Conferência das Partes (COP 21) da Convenção Marco das Nações Unidas sobre a Mudança Climática (CMNUCC), que termina hoje em Paris.“A exclusão da agricultura no passado foi um erro”, afirmou no debate A Agricultura no Terreno Posterior a Kioto, organizado pela OMA em associação com a Organização Mundial de Saúde Animal.

AIESEC convoca jovens para debater o futuro social – “Por Vir” – 12/12/2015

Como você vê a sociedade em 2030? Com essa pergunta em mente, a AIESEC Brasil, ONG reconhecida pela Unesco como a maior organização gerida por jovens, está convocando jovens do mundo inteiro para responderem a pesquisa online “YouthSpeak Survey”. Sob o título “Global Youth Movement” e com a ideia que “O jeito que o mundo será em 2030 depende de nós”, a pesquisa tem como objetivo conhecer a opinião de jovens de 18 a 30 anos sobre temas globais e nacionais. Segundo a diretora de Relações Públicas da AIESEC Brasil, Carolina Araújo, é importante saber a opinião dos jovens quanto as metas do desenvolvimento sustentável da ONU. “A pesquisa está totalmente alinhada aos objetivos do desenvolvimento sustentável. As metas passaram pelas mãos de lideranças muito importantes, mas não necessariamente trataram esses assuntos com a juventude”. Ela afirma ainda que entender como esses objetivos globais estão se espelhando na juventude, que é o público-alvo da AIESEC, é um dos grandes objetivos da pesquisa.

Seis Estados decretaram estado de emergência por zika; veja o que muda – “UOL” – 13/12/2015

Enfrentando uma situação inédita com os casos de microcefalia, seis Estados do Nordeste decretaram situação de emergência para agilizar medidas de combate ao Aedes aegypti e exames para diagnóstico da doença. A principal suspeita é que os casos da má formação do cérebro de crianças tenham decorrido da infecção do zika vírus, transmitido pelo mosquito. O decreto oficial desburocratiza ações e acelerar os gastos públicos, além de permitir a entrada de agentes de vigilância sanitária em imóveis fechados para combater o mosquito. Os Estados dizem que até o momento criaram forças-tarefa, remanejaram servidores e contrataram de serviços para exames de imagens em crianças com microcefalia. Nenhum dos governos apontou necessidade de contratação de médicos agora.

Enfim, o acordo do clima! – “Observatório do Clima” – 14/12/2015

Depois de 20 anos de negociações, impasses, avanços tímidos e fracassos espetaculares, 195 países e a União Europeia produziram neste sábado nos arredores de Paris aquele que talvez seja o documento mais importante do século XXI: o acordo universal que define como a humanidade combaterá o aquecimento global nas próximas décadas. A COP21, ou vigésima primeira Conferência das Partes da Convenção das Nações Unidas sobre Mudança Climática, adotou às 19h26 de sábado (16h26 em Brasília) no parque de exposições de Le Bourget, sob uma prolongada salva de palmas, um pacote de 31 páginas. Ele contém um texto de 12 páginas, o Acordo de Paris, e uma decisão que detalha como o acordo será implementado. Juntos, os dois documentos formam uma espécie de manual de reorientação da economia mundial. Eles sinalizam, ainda que de forma muito preliminar, que a farra desbragada das emissões de gases de efeito estufa precisa chegar ao fim em algum momento deste século. Para os otimistas, o acordo toca o sino do fim da era dos combustíveis fósseis.

A terceira praga: o aedes brasiliensii – “Observatório da Imprensa” – 14/12/2015

Os latinistas divergem: poderia ser brasiliensiumbrasiliensisbrasilii. Injusto generalizar o nome do odiento mosquito e estendê-lo ao país onde se estabeleceu há mais de um século. Mais apropriado singularizar, batizar o “coisa ruim” com nome próprio. Talvez aedes cunhensii? A verdade é que o nome Eduardo Cunha conseguiu o milagre de superar nosso contumaz facciosismo e se tornou irrestrito, universal, suprapartidário, igualmente abominado pela esquerda e direita. Oitenta por cento dos brasileiros atribuem a ele os males que atormentam atormentam. Se o impedimento da presidente da república é, felizmente, questão controvertida, portanto reversível — a necessidade de afastar o presidente da Câmara dos Deputados é ponto pacífico, unanimidade imediata. Mesmo os tucanos com a sua orgânica propensão para as dúvidas estão convencidos de que a simples presença de Cunha compromete e macula o processo político por inteiro. Então por que se enreda o PSDB cada vez mais em suas ardilosas e indecorosas manobras?

China expões poluidores em rede social – “Página 22” – 14/12/2015

A prefeitura de Pequim está usando a rede social Sina Weibo, similar ao Twitter, para expor empresas, indústrias e edifícios residenciais que violam a legislação ambiental e poluem o ar. Na semana passada, a cidade esteve por alguns dias em alerta vermelho devido à contaminação atmosférica sem precedentes. Escolas e fábricas foram fechadas quando a cidade alcançou o patamar de 400 microgramas por metro cúbico de ar. A Organização Mundial da Saúde recomenda manter o nível de particulados finos abaixo de 25 µg/m³ para evitar o comprometimento da saúde da população.

Brasileira fala em nome da juventude mundial na plenária final da COP-21 – “Socioambiental” – 15/12/2015

Depois de duas semanas de negociação, a Conferência do Clima de Paris (COP 21) aprovou o Acordo de Paris, o primeiro tratado internacional sobre clima de caráter universal, no qual todos os seus signatários possuirão compromissos de redução de emissões a partir de 2020, num esforço concertado para limitar o aquecimento global bem abaixo dos 2 graus Celsius neste século, preferencialmente em 1,5 grau Celsius. Na plenária final da COP 21, como de costume, organizações observadoras tiveram uma breve oportunidade para se pronunciar oficialmente. O Youth Climate Movement (YOUNGO), que reúne as organizações da juventude em todo o mundo na questão climática, escolheu como sua representante neste momento conclusivo a coordenadora-geral da organização Engajamundo, Raquel Rosenberg. Esta foi a primeira vez que uma jovem brasileira teve a oportunidade de pronunciar discurso como representante da juventude global numa plenária final de COP.

Pequeno zoológico em Gaza leva alegria à castigada cidade de Rafah – “Terra” – 15/12/2015

Quando Fathi Gomaa, um morador de Rafah, ao sul de Gaza, tinha 15 anos, começou a ganhar a vida com a criação e venda de pássaros à Cisjordânia e Jordânia, mas nunca imaginou que 30 anos depois teria seu próprio zoológico em casa. Embora o bloqueio israelense, apoiado pelo Egito e que asfixia a Faixa há oito anos tenha conseguido fazer com que o desespero, a pobreza e a frustração tomassem conta da população, Gomaa leva esperança e alegria ao coração de muita gente com sua tentativa – em forma de zoológico – de libertá-la da amarga realidade. Sua casa, no bairro de Al Barazeel, perto da fronteira que separa Gaza do Egito, foi bombardeada e destruída por aviões e artilharia israelense no ano passado, durante os 50 dias de conflito entre Israel e as milícias armadas palestinas no enclave.

Brasil perde uma posição no ranking do desenvolvimento humano – “G1” – 16/12/2015

O Brasil perdeu uma posição no ranking que mede o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) dos países e ficou em 75º lugar em 2014, segundo relatório da Organização das Nações Unidas (ONU) sobre 188 países, divulgado nesta segunda-feira (14). Quem passou à frente do Brasil no ano passado foi o Sri Lanka. O IDH brasileiro passou de 0,752 em 2013 para 0,755 no ano passado. O IDH é medido anualmente pela ONU com base em indicadores de renda, saúde e educação. O índice varia em uma escala de 0 a 1. Quanto mais próximo de 1, mais elevado é o IDH. O ranking divide os países em quatro categorias: os de índice de desenvolvimento “muito elevado”, “elevado”, “médio” e “baixo”. O IDH é medido a partir de quatro indicadores: esperança de vida ao nascer; expectativa de anos de estudo ; média de anos de estudo (da população até o momento); e renda nacional bruta per capita (toda a renda do país dividida pelo número total da população).

Sonhos e pesadelos nos portos amazônicos – “IPS” – 17/12/2015

Na cidade de Santarém, no norte do Brasil, confluem complexos portuários considerados estratégicos pelo governo. Mas, o que para alguns é uma oportunidade de desenvolvimento, para outros é a transformação irremediável dessa preservada região da bacia amazônica. Durante o entardecer em frente ao rio Tapajós, onde suas águas azuladas se encontram, em Santarém, com as escuras e barrentas do Amazonas, não é fácil ignorar os silos que marcam o que antes era uma praia pública com típicas embarcações de passageiros e barcos de pescadores dessa região do Estado do Pará. Inaugurado em 2003 como centro de armazenamento, transbordo e embarque de soja e milho, o porto da companhia agroindustrial norte-americana Cargill agora é o principal cartão postal desse município de quase 300 mil habitantes.Os navios cargueiros e os comboios de barcaças transportando grãos têm como destino o rio Amazonas e depois o Oceano Atlântico rumo à Europa ou àChina, os maiores mercados para esses produtos básicos do agronegócio exportador brasileiro.

PNUMA lança plataforma para apoiar países na implementação dos Objetivos Globais – “ONU” – 18/12/2015

O Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA) anunciou nesta segunda-feira (14) o lançamento da Plataforma de Meio Ambiente e Comércio, uma iniciativa que auxiliará os países a usarem o comércio sustentável como um veículo para o cumprimento dos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, adotados em setembro de 2015. Por meio da Plataforma, os países contarão com apoio no planejamento e implementação de políticas comerciais que promovam a sustentabilidade ambiental e o bem-estar humano; na percepção de oportunidades comerciais que possam surgir da transição para uma economia mais verde; no fortalecimento de aspectos sustentáveis do comércio internacional e acordos de investimento em negociações; e na realização de uma mudança de práticas e tendências do comércio aos caminhos mais sustentáveis.

GIFE lança novo Censo e traça panorama do investimento social privado no Brasil – “GIFE” – 18/12/2015

O GIFE acaba de lançar a sétima edição do seu Censo, uma pesquisa que coleta a cada dois anos as principais informações sobre investimento social privado no Brasil. Essa edição dá continuidade a uma série histórica que começou em 2001, permitindo fortalecer a compreensão do setor, retratar a relevância da atuação dos associados GIFE e servir como orientação para a tomada de decisões por parte das organizações. Para acessar o Censo GIFE 2014. O evento de lançamento foi realizado no dia 10 de dezembro, no Instituto Paulo Montenegro, em São Paulo, e contou com mais de 110 participantes no debate. Beatriz Gerdau Johannpeter, presidente do Conselho de Governança do GIFE, abriu o encontro destacando a importância da pesquisa, pois trata-se de um produto consolidado, com dados consistentes e de qualidade, o que favorece o conhecimento sobre o setor e incentiva a cultura de transparência no campo.

Pesquisa liga fumo à menopausa precoce – “BBC” – 19/12/2015

A pesquisa, que envolveu 79 mil mulheres, mostrou que aquelas que fumavam desde os 15 anos entraram na menopausa em média 21 meses mais cedo do que as não-fumantes. O estudo também identificou uma relação mais fraca entre menopausa precoce e fumo passivo. Em trabalho apresentado na revista especializada Tobacco Control, uma equipe de pesquisadores analisou dados do Women’s Health Initiative, uma ampla pesquisa sobre saúde da mulher nos EUA. Todos as mulheres citadas no estudo haviam entrado na menopausa quando foram recrutadas, entre 1993 e 1998. Usando questionários, elas foram interrogadas sobre o quanto e por quanto tempo fumaram e a época da chegada da menopausa.

A tragédia da óleo-dependência – “Mundo Sustentável” – 19/12/2015

A maioria dos governadores enfrenta dificuldades para encerrar o ano no azul. Alegam queda na arrecadação e outras limitações financeiras decorrentes do colapso das contas públicas federais. Quem já operava no limite da razoabilidade (com inchaço na folha de pagamentos e despesas regulares acima do que recomenda a Lei de Responsabilidade Fiscal) foi obrigado a realizar os cortes mais radicais e abruptos. No caso do Estado do Rio de Janeiro há uma singularidade pouco discutida até aqui. Responsável por 80% da produção nacional de petróleo, o Estado recebe quase 75% do bolo nacional dos royalties, que também irrigam a maioria absoluta dos municípios fluminenses (dos 92 municípios do Estado, apenas 5 não recebem royalties do petróleo). Apenas no ano passado, os royalties repassados para esses municípios somaram quase R$5 bilhões (R$4,78 bilhões).

Manejo de pragas e produção orgânica são contrapontos ao uso de agrotóxicos – “EBC” – 20/12/2015

A produção orgânica é o componente mais importante para ser utilizado como contraponto aos agrotóxicos no Brasil, na avaliação do professor Carlos Hugo Rocha, da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), no Paraná, membro da Rede de Especialistas em Conservação da Natureza. Estudos da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) no Paraná mostram que a adoção do chamado Manejo Integrado de Pragas pode reduzir em até 50% o uso de agrotóxicos na agricultura. A mesma metodologia tem sido usada em outras regiões do Brasil e em outros países, segundo Rocha. O conhecimento acadêmico para isso já existe e ele vem sendo aprimorado por pesquisadores em diversas universidades no país”.  Segundo ele, já há nas faculdades de agronomia conhecimento consolidado sobre o manejo de pragas como referencial para a redução do uso de agrotóxicos no dia a dia da agricultura brasileira.

Engenheiro da Samarco diz que lama de barragem deve vazar até fevereiro – “G1” – 21/12/2015

A lama que escoa da Barragem de Santarém, que comporta parte do material vazado da Barragem de Fundão, em Mariana, não será contida antes de fevereiro, de acordo com o engenheiro civil geotécnico da mineradora Samarco José Bernardo Vasconcelos. Segundo ele, a contenção dos rejeitos depende da construção de um dique, cuja obra está em andamento. O engenheiro participou como convidado de uma audiência pública, nesta segunda-feira (21), na Assembleia Legislativa de Minas Gerais, em Belo Horizonte. “Nosso cronograma prevê que, em fevereiro, nós vamos conseguir atravessar o rio e suspender o dique, de modo a começar a fazer a retenção das partículas sólidas ao longo de todo o vale”, afirmou Vasconcelos. O dique fica nas imediações de Bento Rodrigues, distrito mais atingido pelo desastre de 5 de novembro. O período chuvoso e a largura do Rio Gualaxo, que passa por Mariana, dificultariam a conclusão da obra.

Brasil lista espécies da fauna e cumpre meta da convenção sobre biodiversidade – “Jornal do Brasil” – 21/12/2015

O Ministério do Meio Ambiente (MMA) lançou nesta segunda-feira (21) o Catálogo Taxonômico da Fauna Brasileira, que reúne dados de mais de 116 mil espécies de animais. A construção dessa lista atende umas das 20 metas de conservação, chamadas de metas de Aichi, estabelecidas pela Convenção sobre Diversidade Biológica (CDB) da Organização das Nações Unidas. Prevista para ser alcançada até 2017, a meta objetiva dar a base científica para tomada de decisão sobre uso da biodiversidade. “Desde 2010 nós internalizamos essas metas, e uma delas fala da importância de termos bases sólidas, científicas, sistematizadas e disponíveis para o público. Por isso o módulo de consulta pública, onde qualquer pesquisador ou interessado pode entrar na base de dados e ter todas as informações disponíveis”, disse a secretária de Biodiversidade e Florestas, Ana Cristina Barros.

Brasileiro vira sucesso na internet com loja virtual para canhotos – “Metrópoles” – 22/12/2015

Ter dificuldades para cortar alimentos, escrever no caderno e borrar a caneta ao passar a mão por cima, ter sérios problemas com a tesoura escolar e com um abridor de latas. O mundo é dos destros. Se você não é, azar o seu. Pensando nisso, um catarinense tem feito sucesso na internet com uma loja virtual exclusiva para os canhotos com ferramentas desenvolvidas exclusivamente para eles. Ricardo Michels Silva, de 27 anos, não é canhoto. No entanto, se sensibilizou com uma ex-namorada ao vê-la suando com a simples tarefa de cortar uma laranja. Ao ouvir a explicação, começou a pesquisar produtos específicos e descobriu uma série de lojas gringas dedicadas aos canhotos, como a Anything Left Handed, na Inglaterra, e a Lefty’s, nos Estados Unidos. No Braisl, no entanto, não havia ainda nenhuma para esse público.

 




Também nessa Edição nº: 203
Artigo: Como ajudar seu filho a superar o cyberbullying
Artigo: Hora de renovar a matrícula
Notícia: Empresário de Brasília abre vagas de trabalho para idosas
Notícia: Imposto de Renda Solidário destina recursos para projetos socioculturais com crianças e jovens
Notícia: Banco de Tokyo-Mitsubishi UFJ Brasil realiza ação social no Lar Agrícola A Semente
Notícia: Sindicatos devem ampliar as pautas sociais, defende consultora jurídica
Oferta de Trabalho: Oportunidade de Trabalho