Mobilização busca reduzir o número de vítimas fatais no trânsito

André Luis Horta, especialista em segurança viária

André Luis Horta, especialista em segurança viária

Iniciativa reúne cerca de 80 apoiadores e realiza ações de conscientização pelo Brasil

O Movimento Chega de Acidentes!, uma iniciativa apartidária e liderada por entidades com um histórico de lutas em prol da segurança viária no país, divulgou que nos últimos três anos o número de vítimas de acidentes de trânsito alcançou 500 mil. Para precisar os dados, a ação lançou, em 2009, um sistema que começou a contabilizar mortos e feridos partindo do zero, levando em conta as médias apresentadas pelo Ministério da Saúde na época.

“Hoje, três anos depois, a realidade do trânsito brasileiro continua a de uma violência sem fim”, destaca André Horta, especialista do Centro de Experimentação e Segurança Viária (Cesvi), que faz parte do movimento. Para mudar esse triste cenário, a mobilização aposta na informação e sensibilização. Para tanto, promove palestras que orientam o condutor sobre o comportamento no trânsito e as formas de desenvolver hábitos seguros.

“Agora, chegando a essa marca de meio milhão de vítimas, o Chega de Acidentes renova seu apelo, e espera que esse número chocante contribua para sensibilizar governo e autoridades do trânsito, na busca de soluções definitivas, porque a questão da segurança não pode mais esperar”, completa. Vale destacar que, destas 500 mil vítimas, aproximadamente 120 mil foram fatais.

Desde 2009, 80 apoiadores aderiram à causa, que conta, ainda, com parceiros como a Associação Brasileira de Medicina de Tráfego (Abramet), Associação Nacional dos Departamentos de Trânsito (AND) e Associação Nacional de Transportes Públicos (ANTP), por exemplo.

O movimento também instalou totens com os contadores de número de acidentes nas cidades de Manaus (AM), Goiânia (GO), Curitiba (PR), Porto Alegre (RS), Florianópolis (SC), Vila Velha (ES) e Recife (PE). Destaque, ainda, para um abaixo-assinado com 2,5 mil assinaturas que pede às autoridades medidas efetivas para uma diminuição drástica no número de fatalidades no trânsito.

Outra frente de atuação é a sensibilização do governo para a adoção de políticas públicas eficientes, a exemplo da Lei 11.705/2008, também conhecida como a “Lei Seca”. Para 2013, a meta do grupo é estimular o desenvolvimento e a instituição de um plano nacional, que defina objetivos, metas e prazos para a redução das mortes no trânsito.

“As ações de políticas públicas poderiam ser mais intensas e frequentes adotando uma linguagem que possa sensibilizar as pessoas sobre os graves problemas das mortes e lesões no trânsito, principalmente quando provocadas por condutores alcoolizados”, destaca. A Organização das Nações Unidas (ONU) recomenda que essa redução seja de 50% até o final de 2020, prazo final da década se segurança viária que se iniciou oficialmente em 2011.


Site do Movimento Chega de Acidentes! - www.chegadeacidentes.com.br

Também nessa Edição nº: 147
Perfil: Cybele Amado de Oliveira
Entrevista: Marina Piatto e Alessandro Rodrigues
Artigo: Sustentabilidade: inovação necessária
Notícia: Site estima pegada ecológica de internautas
Notícia: COP-18: Como salvar o clima na terra do petróleo?
Oferta de Trabalho: Procura-se (11/2012)