Ensinando a pescar

Geyson participou da turma de 2005 e comemora cinco anos de trabalho formal

Geyson participou da turma de 2005 e comemora cinco anos de trabalho formal

Programa oferece resgate da cidadania por meio da capacitação profissional e pessoal de jovens da rede pública do DF

Determinação, capacitação e oportunidade. Esses são alguns dos ingredientes que podem proporcionar aos jovens a possibilidade de ingressar no mercado de trabalho. Porém, sem a orientação necessária, somada à falta de experiência, muitos demoram a encontrar uma colocação.

Mas não foi o que aconteceu com Geyson Assis, 23 anos, morador de Santa Maria, no Distrito Federal (DF). No dia 3 de março deste ano, o auxiliar administrativo comemorará cinco anos de serviços prestados a uma agência de comunicação de Brasília. Geyson é um dos mais de 90 jovens formados pelo Projeto Pescar, implantado pelo Laboratório Sabin no Centro-Oeste desde 2004, primeira empresa que trouxe o projeto criado no Rio Grande do Sul à região.

A oportunidade de emprego surgiu por meio do programa. Geyson fez parte da turma de 2005. “Durante as aulas do projeto, comecei a entender sobre mercado de trabalho e postura profissional. Lá aprendemos a ‘pescar’, em vez de apenas ganhar o peixe”, compara.

O projeto possibilita aos adolescentes das escolas públicas, com idade entre 16 e 19 anos, capacitação para o cargo de auxiliar de serviços administrativos. A duração do curso é de 800 horas/aula, em um total de nove meses. São oferecidas várias disciplinas, como inglês, informática, etiqueta, empreendedorismo e noções de recursos humanos, ministradas por meio de atividades teóricas e práticas.

As aulas são realizadas no prédio do Sabinbiotec, empresa do Grupo Sabin, localizado em Taguatinga Sul, também no DF. A cada ano são abertas 15 vagas. Os jovens recebem transporte, café da manhã, almoço, uniforme e material escolar. Cerca de 90% dos jovens formados pelo projeto estão trabalhando. A maioria deles também deu continuidade aos estudos por meio da universidade e de cursos técnicos.

A coordenadora do programa em Brasília, Edialeda Bergmann, ressalta que 60% do conteúdo ensinado focam a formação pessoal do estudante. O restante visa à educação profissional. “Buscamos resgatar a cidadania e autoestima dos jovens. Dessa forma, os alunos entendem a necessidade do aprendizado constante para conseguir uma posição no mercado de trabalho”.

Para a moradora da Ceilândia, DF, e estudante Poliana de Jesus Ramos, 18 anos, o Pescar foi uma das melhores coisas de sua vida. “Aprendi a olhar o mundo de outra forma. Nas atividades também percebi que posso crescer com meus erros”, conta. Poliana é uma das alunas do projeto, em 2010. A formatura foi realizada no último dia 3 de dezembro, no Sesc da quadra 504 Sul, em Brasília.

As inscrições para a próxima turma do DF acontecem entre os dias 1º e 4 de fevereiro de 2011. Podem participar jovens de 16 a 19 anos. As inscrições são gratuitas e serão realizadas no prédio do Sabinbiotec. Podem participar estudantes da rede pública, matriculados a partir do 1º ano do ensino médio, no período noturno, e que comprovem renda per capita de até meio salário mínimo.

São 15 vagas. O horário das aulas nos primeiros três meses é das 8h às 14h. Nos outros seis meses, pela manhã (estágio), das 7h às 11h; e à tarde (aula), das 14h às 16h. Após receber parte do treinamento, os jovens são contratados como Jovem Aprendiz pelo próprio Laboratório Sabin.

Rede nacional e internacional

A Rede Pescar possui cerca de 100 unidades no Brasil e está presente, também, na Argentina e no Paraguai. Juntas, elas já educaram, profissionalizaram e encaminharam ao mercado de trabalho mais de 12 mil jovens. As unidades do projeto acolhem em média 1,7 mil novos alunos por ano.

A rede funciona por meio do sistema de franquia social. As empresas franqueadas pela Fundação Projeto Pescar abrem espaço para a formação pessoal e profissional de adolescentes de baixa renda em suas próprias dependências, encaminhando-os, depois, ao mercado de trabalho.

Em Brasília, o Projeto Pescar Sabin é mantido pelo Laboratório e Instituto Sabin além das empresas parceiras: Ita Sorvetes, TWA Idiomas, SAMDEL, SESC, A&C Malharia, Ana Uniformes, Sociedade Bíblica do Brasil, Alltrade, Politec Solidária e Junior Achievement, restaurante Chão Goiano, que fazem parte do quadro de mantenedores do Pescar.

A proposta educativa do projeto tem como foco principal gerar possibilidades efetivas de inclusão social do jovem socialmente vulnerável, ajudando-o a desenvolver suas potencialidades e suprir suas necessidades, encaminhando-o para o primeiro emprego ou estimulando sua capacidade empreendedora. Para Janete Vaz, diretora-executiva do Laboratório Sabin, trata-se de uma oportunidade concreta de oferecer novas possibilidades para os jovens. “Queremos que eles cresçam como cidadãos conscientes de seu papel no mundo”, afirma.

Cristiane Rosa
Especial para a revista Responsabilidade Social.com


Projeto Pescar Sabin 2011 - Telefone: (61) 3329-8000 - Endereço: Avenida Areal, QS 5, Lote 36, Taguatinga Sul, no prédio do Sabinbiotec

Também nessa Edição nº: 112
Perfil: João Ricardo Magalhães Gonçalves
Entrevista: Ben Sangari
Artigo: Pessoas melhores para um mundo melhor
Notícia: O que deu na mídia (edição 112)
Notícia: Férias solidárias
Notícia: Junior Achievement planeja atender 200 mil jovens neste ano
Oferta de Trabalho: Procura-se (01/2011)