Empresa aposta na inovação tecnológica para preservar o meio ambiente

Presidente da Ricoh Brasil apresenta os projetos sociambientais da empresa

Presidente da Ricoh Brasil apresenta os projetos sociambientais da empresa

Ricoh é pioneira na utilização do plástico à base de plantas no processo de fabricação de equipamentos

Estar entre as empresas mais sustentáveis do mundo. Essa é a ambição da Ricoh, grupo industrial japonês presente em mais de 130 países, entre eles o Brasil, especializado na fabricação e comercialização de copiadoras, impressoras e multifuncionais. Para alcançar o resultado, a aposta será na produção de tecnologias capazes de valorizar o meio ambiente em setores como conservação de energia, prevenção de poluição e redução do uso de papel.

“Nosso objetivo é continuar sendo uma das empresas mais sustentáveis do mundo, preservando os ambientes onde atuamos. Certamente faremos novas parcerias e criaremos novas tecnologias de preservação, levando isso a todos os nossos clientes”, anuncia Diego Imperio, presidente da Ricoh Brasil.

O valor do aporte no desenvolvimento de novas tecnologias com foco na preservação ambiental não foi revelado, mas as ações são, de acordo com ele, pautadas numa visão de longo prazo para todas as operações. “Posso afirmar que certamente a empresa irá investir boa parte de seu faturamento em 2012 para criar ainda mais novas ações na área”, diz.

A Ricoh é pioneira na utilização do plástico à base de plantas no processo de fabricação de equipamentos. Os plásticos são provenientes da fermentação do amido de fontes vegetais como milho, cana-de-açúcar e batata. Uma medida também adotada para preservar os recursos naturais é a redução de embalagens ao longo de todo o processo de entrega. Vale destacar também que a empresa atende aos requerimentos do Blue Angel, primeira certificação do meio ambiental do mundo.

Ainda segundo Imperio, a instituição segue padrões rígidos de emissão de ozônio, poeira e componentes orgânicos voláteis, em todos os processos. Outra preocupação é a eliminação de resíduos e para tanto a instituição tem feito grandes esforços, auditorias e pesquisas relacionadas à eliminação de forma apropriada. O grupo também vem trabalhando para reduzir as emissões de CO2 e os custos de transporte. O objetivo é construir uma produção global e sistema eficaz de logística para manter as operações de emissão com baixo custo e pequena produção de carbono.

Ainda segundo ele, a gestão da Ricoh também é pautada em questões sociais. A instituição mantém parcerias com ONGs e com escolas públicas do Rio de Janeiro, além de doar equipamentos e suprimentos para diversas entidades. “Para uma empresa sobreviver no mercado atualmente, é preciso que ela não seja apenas economicamente lucrativa, mas também ecologicamente correta e que se preocupe com a sociedade na qual está inserida”, destaca.

Pelo sétimo ano consecutivo, a instituição constou em 2011 na lista das 100 empresas mais sustentáveis do planeta – a Global 100 Most Sustainable Corporations in the World, organizada pela revista canadense Corporate Knights. O grupo também foi nomeado por dois ciclos seguidos como uma das empresas mais éticas do mundo, de acordo com premiação anual do Ethisphere Institute.

“As empresas precisam alinhar suas atividades e objetivos de forma a serem economicamente lucrativas, com responsabilidade social, ética e ambiental, pois isso se tornou requisito vital para a sobrevivência de uma corporação no mercado. A sociedade e os consumidores passaram também a perceber essas atitudes, levando-as em conta no momento da compra. Isso passou a definir o possível sucesso ou fracasso de uma companhia”, completa.


Ricoh Brasil - Telefone: (21) 2512-0060

Também nessa Edição nº: 130
Perfil: Adrian Cowell
Entrevista: Paula Storto
Artigo: O papel da liderança na agenda da sustentabilidade corporativa
Notícia: Pesquisa mostra a relação entre as classes C e D e o meio ambiente
Notícia: Mercado inclusivo
Oferta de Trabalho: Procura-se (11/2011)