Empreendedorismo social

1258-phpETlTTq

ONG de Santa Catarina lança site para venda de produtos fabricados por presos do Estado

Os produtos confeccionados por detentos do Presídio Masculino de Florianópolis (SC) rompeu os muros da instituição prisional e serão vendidos por meio do comércio eletrônico. As peças produzidas a partir de materiais reciclados, como banners e outdoors, podem ser conhecidas no endereço http://www.institutodaterra.org.br e incluem desde brindes a projetos especiais.

“Nossa intenção é compartilhar com o Brasil e o mundo essa experiência realizada há 13 anos em Florianópolis, e oferecer uma vitrine virtual dos produtos gerados com essa nova visão que alia ecologia, arte, empreendedorismo e inclusão social”, afirma a arte-educadora Zuleica Nunes da Silva, uma das pioneiras na reciclagem de papéis no Brasil, com grande experiência na aplicação desse processo no ambiente prisional.

O trabalho é realizado por meio do projeto Cidadania em Cadeia, selecionado como uma das 12 melhores práticas urbanas do Brasil no Habitat/ONU – Encontro Ibero-Americano sobre o Habitat Urbano, em 2001. A ação não só recupera a auto-estima dos detentos como também gera trabalho e renda para esses cidadãos e seus familiares, com forte apelo na preservação do meio ambiente.

“Investimos na reintegração social e profissional dos apenados. Não questionamos os crimes, como não lemos cada pedaço de papel que reciclamos. Apostamos em uma nova perspectiva contra a reincidência, com homens transformando papéis e o papel criando um novo homem, capaz de produzir maneiras equilibradas de viver”, defende Zuleica.

Segundo ela, a iniciativa é muito bem recebida dentro do presídio e o grande desafio agora é empregar os 300 detentos. “Precisamos aumentar a demanda e contratar um número maior de apenados”, diz Zuleica, que começou a carreira como artista plástica em Porto Alegre (RS) e foi professora da Universidade de Brasília (UnB).

O projeto, que também já foi premiado pelo Programa Gestão Pública e Cidadania da Fundação Getúlio Vargas em 2002, é promovido pelo ONG catarinense Instituto da Terra, criada e presidida pela Zuleica da Silva. O instituto já vem atuando também em outros Estados brasileiros mediante a realização de palestras, cursos e consultoria direcionados para organizações públicas, privadas e do terceiro setor, com o objetivo de disseminar conhecimentos e tecnologias sociais inclusivas e inovadoras.

Segundo a criadora da instituição, o escopo da entidade é o desenvolvimento sustentável da sociedade por meio da educação, pesquisa e apoio técnico. “Suas ações têm foco na educação ambiental, geração de emprego e renda, cidadania e direitos humanos, e são pautadas na busca pela eficiência econômica, justiça social e harmonia ecológica”, define.

Entre as diversas atividades em curso, destaque para a parceria com a Redactor Comunicação, do Portal da Educação Profissional Pública em Santa Catarina (http://www.educacaoprofissionalsc.com.br). A proposta é apoiar a educação de crianças e adolescentes, além de potencializar oportunidades de geração de emprego e renda, bem como preparar jovens para o mercado de trabalho.

O Instituto da Terra recebeu em 2001 o troféu “Amigo de Santa Catarina”, concedido pelo governo do Estado. Dois anos antes foi homenageado pelo Conselho Nacional de Política Criminal e Penitenciária, em 1998 ficou em 1º lugar no prêmio “Expressão de Ecologia”, na categoria Produto Verde e na 6a posição da categoria regional do mesmo concurso, entre outras condecorações.


Instituto da Terra - Telefone: (48) 3259-6000

Também nessa Edição nº: 118
Perfil: Joséh Carlos Bonatto
Entrevista: Fábio Mezzarano
Artigo: Sustentabilidade e governança
Notícia: Brasília terá fórum verde
Notícia: O que deu na mídia (edição 118)
Notícia: Alcoa anuncia US$ 7 milhões para ações ambientais
Oferta de Trabalho: Procura-se (04/2011)