EDISCA conquista o mundo

Quem acredita que apenas a rigidez das salas de aula é capaz de resgatar a cidadania de crianças pobres, certamente não conhece o trabalho da Escola de Dança e Integração Social para Criança e Adolescente (EDISCA). Criada há 11 anos, na cidade de Fortaleza, Ceará, a EDISCA já atendeu mais de 400 crianças e adolescentes diretamente, além de beneficiar outras 2,4 mil pessoas indiretamente, nos seus mais variados projetos. Eles vão desde o ensino da dança, do teatro e das artes plásticas à participação em corais, cursos de informática e programas de estágio no Banco do Brasil. “A estética é o universo onde os sentidos e as sensibilidades são despertados e elaborados repercutindo diretamente na formação do ser”, explica a diretora geral do projeto, Dora Isabel de Araújo Andrade.

A missão dessa entidade é uma só: trabalhar através de várias linguagens da arte, a busca da cidadania plena, do senso estético e ético, buscando a plenitude do desenvolvimento humano de crianças e adolescentes pobres, bem como de suas famílias e comunidades. Explica-se: além dos projetos que envolvem os menores, a EDISCA também realiza programas complementares que visam o atendimento dos pais e familiares – como os chamados Grupos de Convivência, o programa de Alfabetização de Adultos e o trabalho de apreensão e troca de habilidades.

Além de desenvolver a cidadania por meio da expressão cultural e artística, a EDISCA percebeu que precisava preparar seus alunos para este aprendizado. Foi necessário implementar atendimento médico e ambulatorial, odontológico, orientações em nutrição, atendimento psicoterápico (individual e em grupo), palestras de orientação sexual, grupo de apoio a alunos em dificuldade de aprendizagem, além do fornecimento de auxílio transporte, fardamento, medicamentos e artigos de higiene pessoal básica.

Para concretizar todas essas metas, a EDISCA conta com o apoio de importantes parceiros. Entre eles, destacam-se o Instituto Ayrton Senna, a Embratel, o BNDES, o Instituto C&A de Desenvolvimento Social, a UNESCO e o Governo do Estado do Ceará, entre outros. A persistência deste trabalho, que começou em novembro de 1991, já começa a render importantes frutos. O balé EDISCA contabilizou, entre os anos de 1995 e 2002, um público de 144.197 expectadores nas suas mais diversas apresentações locais, nacionais e internacionais. Nesse caminho, muitas platéias foram conquistadas, entre elas, o rigoroso público francês, que aclamou a iniciativa de diversas maneiras.

O ápice aconteceu em novembro de 2002, quando o balé esteve em Paris – a convite da UNESCO – para se apresentar a uma platéia de 3,6 mil convidados, em dois diferentes eventos. “Estender a visibilidade institucional além das fronteiras, amplia e propicia oportunidades de atrais interesses e parcerias internacionais”, avalia Dora. Por fim, a diretora do EDISCA demonstra a maturidade do projeto ao traçar o objetivo da instituição para 2003: “Queremos aperfeiçoar e fortalecer as ações que comprovadamente produziram resultados positivos”.


EDISCA - Tel.: (85) 278-1515 - E-mail:edisca@uol.com.br

Também nessa Edição nº: 5
Perfil: José Mário Tranquillini
Entrevista: Clara Brandão
Artigo: A outra face do bem: empresas investem na área social mais por marketing do que por vocação*
Notícia: O que deu na mídia (Edição 5)
Notícia: A identidade conquistada
Notícia: Onde está o Brasil online?