Congresso gratuito debate sobre o autismo

Dr. Clay

Você sabia que o Autismo pode atingir cerca de dois milhões de pessoas no Brasil? Pensando em mobilizar a sociedade a refletir sobre o tema para vencer preconceitos e melhorar a qualidade de vida, a Neuro saber vai promover o ConAutismo, o Congresso Nacional Online de Autismo. Totalmente gratuito, o evento aconteceu nos dias 14 a 20 de março.

Segundo o neuropediatra Dr. Clay Brites, um dos idealizadores do projeto, a iniciativa tem como proposta reunir conhecimentos altamente relevantes e com evidência científica acerca do Transtorno do Espectro Autista (TEA). “Pretendemos compartilhar estas informações de forma que possam ajudar num primeiro momento a família, professores e profissionais que lidam com o assunto”.

– Acreditamos especialmente em dois eixos de ação. Primeiro, a interdisciplinaridade, pois todos são importantes dentro da dinâmica do diagnóstico e tratamento do TEA. E, segundo, no Conhecimento que liberta de preconceitos, cria oportunidades para orientação e é um agente transformador da realidade. Por isso, investimos na curadoria criteriosa de conteúdo de qualidade e com fundamentação nas pesquisas numa linguagem acessível a todas as pessoas – reforça.

Sobre o congresso

As palestras podem ser assistidas pelo site (http://conautismo.com.br/). A programação contou com a participação de importantes especialistas do país e do exterior, como médicos, cientistas, fonoaudiólogos, psicólogos, pedagogos, terapeuta ocupacional, pais, familiares, organizações, associações e um estudante autista.

Entre os diversos assuntos, as pessoas puderam entender melhor todas as facetas do autismo. Falaram sobre os diferentes tratamentos e como são realizados em crianças e adolescentes. As pessoas puderam entender como identificar as diferentes categorias do transtorno, entre elas, a síndrome de asperger. Foi mostrado como a música e a psicomotricidade podem ajudar na intervenção do TEA. Profissionais informaram sobre métodos de alfabetização e como auxiliar o autista na escola.

Além disso, foi discutido sobre a importância da estimulação da linguagem e da cognição por meio de atividades práticas. Pedagogos vão explicar como é o processo da mediação escolar. E ainda apresentados os avanços das pesquisas sobre o TEA e os caminhos para uma cura.

shutterstock_360990788-e1456781988844

Em defesa dos autistas

Dr. Clay Brites comenta ainda que o evento surgiu para ressaltar a relevância da Lei nº 12.764 que institui a Política Nacional de Proteção dos Direitos da Pessoa com Transtorno do Espectro Autista.

O texto diz que é de direito do autista estudar em escolas regulares, desde a Educação Básica até o Ensino Profissionalizante. Caso seja necessário, é possível ainda pedir um mediador, ou seja, um acompanhante especializado. “Nossa proposta é mostrar aos pais o respaldo que a Lei concede nesses casos e como exigir isso das escolas e de autoridades”.

 


Para se ter acesso às palestras, é preciso se inscrever no site com um endereço eletrônico. Em seguida, é enviado ao e-mail um link de confirmação.

Também nessa Edição nº: 206
Artigo: Coalizão Brasil defende inclusão do setor empresarial na comissão de REDD+
Artigo: Diagnósticos corretos salvam alunos com dificuldades na escola
Notícia: Natura anuncia projeto vencedor do Hackathon Ekos
Notícia: O que deu na mídia (edição 206)
Notícia: Imposto de Renda Solidário pode ser destinado para projetos socioculturais até abril
Notícia: Casa de emprega doméstica é eleita melhor casa do mundo pelo ArchDaily