Ceilândia discute o papel da mulher por meio da arte de rua

Grupo de hip-hop Atitude Feminina aborda nas letras engajadas a violência doméstica e a discriminação das mulheres

Grupo de hip-hop Atitude Feminina aborda nas letras engajadas a violência doméstica e a discriminação das mulheres

Mostra realizada no início do mês reuniu artistas do Brasil, Espanha e Republica Dominicana

A cidade de Ceilândia, uma das mais carentes do Distrito Federal, foi palco de uma ampla demonstração de arte urbana internacional no início deste mês. O Instituto Cervantes trouxe ao país, artistas da Espanha e República Dominicana, dentro do projeto ‘Criadoras’. A idéia foi utilizar as mais diversas linguagens culturais como pano de fundo para discutir o papel que a mulher desempenha neste início de século XXI.

Realizada em parceira com a Agência Espanhola de Cooperação Internacional e o Serviço Social do Comércio (Sesi), a iniciativa também pretendeu se estabelecer como uma oportunidade para os jovens de baixa renda trocar experiências com artistas internacionais. O conteúdo da mostra, realizada no sábado (10), reuniu obras recentes de mulheres que trabalham nos mais variados campos da criação artística urbana, como a dança (com a break dance), as artes visuais (com o grafitti e a street srt) e a música (com o soul e o hip hop).

Segundo os organizadores, a proposta foi oferecer à sociedade uma imagem mais ampla, rica e profunda das mulheres criadoras, jovens e emergentes que começam a ser conhecidas em cada campo das diversas disciplinas da cultura urbana, com o firme propósito de ativar a sensibilidade no espectador.

Entre as participações nacionais, destaque para o grupo Atitude Feminina, uma das poucas formações brasileiras constituídas somente por mulheres. Criado em 2000, o grupo de hip hop, aborda em letras fortes, a violência doméstica e a discriminação das mulheres das classes mais humildes da sociedade. Formado por Giza Black nas rimas e Aninha no backing vocal, o grupo de Brasília já fez apresentações no Distrito Federal, Goiânia, Barreiras, Belo Horizonte, São Paulo, Piracicaba, Rio de Janeiro e Fortaleza entre outras.

Já dentre as artistas internacionais, vale destacar a participação das MC’s, grafiteiras, B. Girls e DJs da Espanha e da República Dominicana e as B. Dancers Ther e Nadine, de Barcelona, que ofereceram uma oficina gratuita de break dance no dia anterior ao evento.


Instituto Cervantes de Brasília - Telefone: (61) 3242-0603

Também nessa Edição nº: 94
Perfil: José de Souza Breves Filho
Entrevista: Fabián Echegaray
Notícia: O que deu na mídia (edição 94)
Notícia: Peritos da terceira idade
Notícia: Intercâmbio social (2010/04)
Oferta de Trabalho: Procura-se (04/2010)