Ativismo social em alta

Entrega da petição da Avaaz sobre a gripe suína na OMS em Geneva

Entrega da petição da Avaaz sobre a gripe suína na OMS em Geneva

Rede de mobilização eletrônica contabiliza mais de 25 milhões de ações sociais organizadas pela internet e mantém mais de 7,2 milhões de membros

Lançada em 2007, a comunidade de mobilização online Avaaz registra números surpreendentes que dão mostras de que os movimentos sociais via internet estão em alta. Segundo dados da instituição, em quatro anos mais de 25 milhões de ações foram organizadas, incluindo atividades online e offline, que vão desde o envio de e-mails para líderes políticos, telefonemas, participação em marchas e assinatura em petições.

Apoiada na proposta de “fechar a brecha entre o mundo que queremos e o mundo que a maioria das pessoas querem”, a equipe da Avaaz trabalha de quatro continentes, usando ferramentas eletrônicas para coordenar um escritório virtual colaborativo. A equipe operacional está sediada em Nova York, nos Estados Unidos, e conta com cerca de 7,2 milhões de voluntários espalhados pelo mundo.

A ideia central é atuar como um megafone para chamar atenção para novas questões e se posicionar como um catalisador para canalizar as preocupações públicas dispersas em uma única campanha específica e concentrada. “Nosso foco é propiciar uma guinada decisiva em momentos de crise e oportunidade. No decorrer de uma questão ou causa, às vezes surge um momento em que é preciso tomar uma decisão, e um protesto público em massa pode subitamente fazer toda a diferença”, diz o portal.

Dentro desse foco, a comunidade busca atender causas como o combate a pobreza global, conflitos no Oriente Médio e mudanças climáticas – tudo organizado de forma eletrônica e participativa. De acordo com a instituição, as ideias para campanhas beneficiadas ao longo de cada ano são submetidas a pesquisas e testes realizados semanalmente com amostras aleatórias distribuídas a 10 mil membros. Apenas as iniciativas que recebem uma forte reação positiva são implementadas em grande escala.

“A Avaaz não define sozinha um programa de ação para depois tentar convencer os membros a segui-lo. Na realidade, o processo é mais próximo do oposto disso: a equipe ouve os membros e sugere ações que possam implementar para influenciar o mundo de um modo geral”, define o site.

Fundada pela Res Publica, uma comunidade online que lançou o ativismo via internet nos Estados Unidos, a comunidade já levantou mais de U$ 15 milhões. Os recursos foram direcionados para ações realizadas em países como Birmânia, Zimbábue, Tibete, Irã, Haiti, entre outros. “O nosso modelo de mobilização online permite que milhares de ações indivíduas, apesar de pequenas, possam ser combinadas em uma poderosa força coletiva”, reforça o portal.

Os países com o maior número de membros são o Brasil e a França com mais de 700 mil voluntários. Já as nações com o menor número são Montserrat e Naru, com 30 e 33 membros respectivamente. A Avaaz é financiada exclusivamente pelos voluntários e a instituição não aceita recursos financeiros oriundos de governos ou de empresas.

Conceito

Avaaz significa “voz” em várias línguas européias, do oriente médio e asiáticas. Em urudu o termo designa “o som que quebra o silêncio”. O equivalente em latim “vox” é a raiz de “voz” em português e do inglês “voice”.


Avaaz: www.avaaz.org

Também nessa Edição nº: 115
Perfil: Jacques Marcovitch
Entrevista: Diana Hay
Artigo: Onze tendências de comunicação da sustentabilidade
Notícia: O que deu na mídia (edição 115)
Notícia: Projeto pioneiro no país capacita jovens com deficiência intelectual e promove a inserção deles no mercado de trabalho
Notícia: Tratamento de risco
Oferta de Trabalho: Procura-se (03/2011)