Rosangela Coelho

1574-php4Z732F

Norteada pelo princípio do tripé sustentável, que prevê sucesso econômico, com respeito ao meio ambiente e responsabilidade social, a Embraco, criada há mais de 40 anos no Brasil, é líder mundial no mercado de compressores herméticos para refrigeração.

Com mais de 12 mil funcionários nas fábricas e escritórios localizados no Brasil, China, Itália, Eslováquia, México e Estados Unidos, a corporação mantém uma capacidade produtiva superior a 35 milhões de unidades ao ano e oferece soluções que se diferenciam pela inovação e pelo baixo consumo de energia.

Hoje, a Embraco figura a lista das 20 empresas mais sustentáveis do Brasil. Com sede em Joinville (SC), a operação possui certificações internacionais de qualidade (ISO 9001), de meio ambiente (ISO 14001), de saúde e segurança ocupacional (OSHAS 18001) e de controle de substâncias nocivas (QC 80.000), por exemplo.

“O tema responsabilidade socioambiental está inserido em todas as áreas da Embraco, e nos orçamentos de cada processo”, afirma a diretora de Comunicação e Sustentabilidade da empresa, Rosangela Coelho. Em entrevista exclusiva, ela detalha a política socioambiental da Embraco e destaca as principais soluções para minimizar o impacto ambiental das operações da corporação e como isso impacta diretamente na vida do consumidor. Acompanhe.

1) Responsabilidade Social – A Embraco afirma que a sustentabilidade é um dos compromissos da empresa. A senhora poderia detalhar como a instituição alia crescimento econômico e compromisso socioambiental?
Rosangela Coelho
– Nossa liderança global no mercado de compressores herméticos para refrigeração é resultado do compromisso em desenvolver novas tecnologias que resultem em um processo sustentável com foco em toda a cadeia de negócios. Além disso, a sustentabilidade é um dos pilares de negócios de nossa empresa e representa o compromisso que temos de equilibrar aspectos econômicos, sociais e ambientais na organização. Para minimizar os impactos de nossas atividades, buscamos reduzir o consumo de matérias-primas, água e energia, estimular boas práticas por parte de nossos fornecedores e contribuir com o desenvolvimento das comunidades próximas às nossas unidades no Brasil, na Europa, na China, no México e nos Estados Unidos.

2) RS – Quais as principais ações da empresa para minimizar os impactos ambientais de sua atividade?
RC
– Somos certificados RoHs e REACH, além da ISO 14001, ISO 9001 bem como a QC80000 (substâncias nocivas ao meio ambiente) e o oHsas 18001 (padrão internacional de gestão de saúde e segurança ocupacional). Na década de 1990, a Embraco foi pioneira na participação do Protocolo de Montreal, tratado internacional cujo objetivo é acabar e substituir o uso do CFCs e outras substâncias nocivas à camada de ozônio.

Desde 2009 trabalhamos com a redução de impacto de nossas operações globalmente, como consumo de água e energia e, desde 2011, inventariamos gases de efeito estufa (GHG) em nossas operações na Itália, Eslováquia e Brasil. Também em 2011, implantamos o projeto global Behavior-Based safety (BBs – em português, segurança Baseada em Comportamento Seguro), que tem como objetivo ajudar as pessoas a escolher um comportamento seguro, em vez de um de risco, durante a execução das suas atividades diárias. Também somos signatários do Pacto Global da ONU (2005) e do Energy for All, iniciativa global também liderada pela ONU. Por dois anos (2011/2012), somos reconhecidos pela Exame, como uma das 20 empresas modelo em sustentabilidade.

3) RS – Qual o peso do tema responsabilidade socioambiental nos negócios da empresa? Hoje, já há uma reserva no orçamento anual para as ações nesse setor?
RC
– O tema responsabilidade socioambiental está inserido em todas as áreas da Embraco, e nos orçamentos de cada processo. A área de Sustentabilidade da empresa desenvolve um papel de consultoria estratégica para a organização. Trabalhamos hoje em três dimensões do negócio: produtos verdes – que envolve principalmente eficiência energética, logística reversa, substâncias não nocivas, miniaturização e produtos com menor impacto ao meio ambiente; cadeia de valor verde – em que abordamos temas ligados a processos ecoeficientes como a redução do consumo de energia, água e geração de resíduos e responsabilidade na cadeia de fornecedores; e engajamento – em que focamos segurança, diversidade e protagonismo na comunidade com investimento social.

4) RS – Quais foram os principais investimentos feitos em sustentabilidade nos últimos três anos, e qual o retorno que a organização teve (e tem) atuando de maneira socialmente responsável?
RC
– Entendemos que os investimentos em pesquisa e desenvolvimento (P&D), incluem requisitos de sustentabilidade. Além disso, investimos constantemente na melhoria dos processos operacionais, nos sistemas de gestão, no planejamento de gestão de riscos e fortalecimento dos nossos processos de compliance da cadeia (funcionários e parceiros estratégicos).

5) RS – Qual o impacto dessas ações para o consumidor?
RC
– O uso de gases refrigerantes naturais (HCs) como o propano utilizado na linha de compressores Embraco, além de ser mais barato que o hidrofluorcarbono (HFCs), não agride a atmosfera e se dissipa em menos de um ano (até 1000 vezes menor quando comparado aos hidrofluorcarbonos). Outro benefício para o consumidor é a redução no consumo de energia que pode representar até 40% de economia na conta de luz.

6) RS – A Embraco é referência mundial no desenvolvimento de soluções que atendem às normas internacionais mais restritivas em relação ao consumo de energia. Quais os principais projetos nessa área?
RC
– Temos a “Tecnologia Embraco Fullmotion”. Trata-se de uma inovação que possibilita reduzir o consumo de energia em até 40%, quando comparado aos equipamentos com compressores tradicionais. O diferencial dessa tecnologia é que o compressor permanece ligado o tempo todo, evitando o gasto de energia da hora de religar. A ideia é criar um sistema inteligente, em que o compressor aumenta e reduz automaticamente a intensidade do trabalho, conforme a necessidade. A solução ainda permite melhor conservação dos alimentos, em função da mínima variação da temperatura no gabinete. Sua utilização também reduz ruído e vibração do compressor em 30%.

Em 2011, a Embraco deu início no Brasil à fabricação do primeiro compressor no mundo a dispensar o uso de óleo lubrificante, a linha Oil Free. Essa novidade traz benefícios diretos aos clientes. A ausência do óleo, aliada ao tamanho compacto do modelo, permite que o compressor ocupe menos espaço nos refrigeradores e freezers e que possa, ainda, ser colocado em qualquer posição, seja horizontal ou vertical. Hoje, para evitar vazamento do óleo, os compressores precisam ser colocados sempre na posição vertical. Isso permite aos nossos clientes aproveitar melhor o espaço dos equipamentos e criar novas funcionalidades, além de um menor consumo de energia. Desenvolvido em parceria com a Fisher&Paykel, da Nova Zelândia, e a norte-americana Whirlpool Corporation, o projeto exigiu cinco anos de pesquisa, com 82 patentes registradas e investimentos de R$ 20 milhões.

A Embraco também enxerga o uso de refrigerantes naturais como uma forma importante de reduzir as emissões de gases que impactam o efeito estufa. A grande vantagem dos refrigerantes naturais é o baixo Greenhouse Warming Potencial (GWP), medida para expressar a contribuição para o aquecimento global de gases como o R600a (isobutano), nos equipamentos domésticos, e o R290 (propano), em sistemas comerciais. Esses gases já são adotados na Europa e na China e, desde 2011, tiveram o seu uso regulamentado também nos Estados Unidos.

7) RS – Nos processos, a Embraco economizou, em 2010, energia suficiente para abastecer uma cidade de cerca de 150 mil habitantes por um mês. Em todas as unidades no mundo, foram mais de 32 milhões de kWh economizados. A empresa tem uma estimativa da economia alcançada nos anos de 2011 e 2012?
RC
– Em energia, economizamos mais de 17 milhões de kWh de 2011 a 2012. Essa economia daria para abastecer uma cidade de cerca de 80 mil habitantes em um mês. Os países em que a redução foi mais significativa foram Eslováquia e China. Também tivemos resultados expressivos na redução do consumo de água. Ao todo, deixamos de consumir mais de 25 milhões de litros.

8) RS – A empresa também dispõe de uma Política de Investimento Social, por meio da qual desenvolve projetos com crianças e adolescentes nas áreas de educação e meio ambiente. Qual o balanço que pode ser apresentado dessas atividades em 2012?
RC
– Em 2012, celebramos 20 anos do Prêmio Embraco de Ecologia. Um marco na nossa história de incentivar a prática da educação ambiental em instituições de ensino de Joinville (SC) e conscientizar as novas gerações ao envolver diretores, professores e alunos integrando o tema ao cotidiano escolar e da comunidade. A iniciativa envolveu, até o momento, mais de 100 mil estudantes e diretores de escolas municipais e estaduais, recebeu 676 inscrições e implantou 86 projetos em 64 instituições de ensino.

Na edição de 2012, o prêmio passou por mudanças como a divisão de categorias, que agora são: Ação e Transformação. Os projetos inscritos na categoria Ação têm um impacto imediato na gestão e no plano pedagógico da escola. Já a categoria Transformação contempla projetos que, além dessas duas dimensões, deve propor melhorias na infraestrutura da instituição.

Diferente das edições passadas, não há mais distinção por séries, as escolas podem se candidatar a qualquer uma das categorias. Os vencedores recebem o Troféu Quero-Quero e recursos financeiros que possibilitam a implantação do projeto premiado. Outra importante mudança foi no valor do prêmio por categoria – o total do prêmio em 2012 foi de R$ 56 mil -, sendo R$ 8 mil para cada uma das quatro escolas vencedoras na categoria Ação e R$ 24 mil para a vencedora na categoria Transformação.

Ainda entre nossas iniciativas nos relacionamentos com as comunidades, destacamos os programas de educação e educação ambiental para crianças e adolescentes, nosso foco em todo o mundo. Em 2012, atendemos mais de 30 mil crianças e adolescentes com as nossas ações sociais.

Nós também estimulamos o voluntariado que mobiliza colaboradores e comunidades em todo o mundo. Entre os projetos está o Prove um Dia Diferente que convida os funcionários e a população presente no entorno das fábricas e escritórios para realizarem ações junto à comunidade. Todo esse envolvimento contabilizou cerca de 10 mil horas de voluntariado global. Para medir esses resultados, a cada dois anos realizamos uma pesquisa com as comunidades para revisar nossas políticas de investimento social, principalmente para saber se as atividades são efetivas para a população.

Também exemplificamos nossas iniciativas com o Global Voluntary Day. Por meio da metodologia Oasis, atuamos como facilitadores na identificação dos sonhos da comunidade para transformar a região na qual vivem. Após a descoberta do sonho, a missão é colocá-lo em prática e realizá-lo em dois dias.

9) RS – Quais os desafios que a empresa ainda enfrenta quando o tema é responsabilidade socioambiental?
RC
– Sustentabilidade na Embraco é um dos cinco pilares estratégicos da empresa. Temos foco em três dimensões do negócio: Green Operations, Green Supply Chain e Engagement. Desenvolvemos ações bem claras em cada uma dessas dimensões. Temos o desafio de inserir questões socioambientais na pauta de negócios com os nossos clientes, dando mais visibilidade aos benefícios que os nossos produtos geram para o consumidor final. Além disso, em 2013 ampliaremos o inventário de emissões das nossas operações, o processo de excelência de fornecedores com sustentabilidade para a China. Na área de P&D de produtos, vamos trabalhar em conjunto para inserir no planejamento de longo prazo, requisitos de sustentabilidade no ciclo de vida dos produtos.

10) RS – Quais são as principais iniciativas de sustentabilidade que a instituição dará continuidade ou implantará em 2013?
RC
– Daremos continuidade no desenvolvimento de produtos altamente eficientes e pesquisa de novas tecnologias como a tecnologia Embraco Fullmotion e uso de gases refrigerantes naturais. Também vamos promover globalmente ações com fornecedores. Vale destacar ainda a realização da 21ª edição do Prêmio Embraco de Ecologia. Além disso, vamos dar continuidade ao Dia Global do Voluntariado (Prove um Dia Diferente) e estimular o voluntariado junto aos funcionários para causas socioambientais.

11) RS – Qual o seu entendimento do termo responsabilidade social?
RC
– Responsabilidade social ou sustentabilidade é a responsabilidade que a empresa tem com a sociedade (públicos chaves de relacionamento) e com o meio ambiente, além das obrigações legais e econômicas. A Embraco está entre as 20 empresas mais sustentáveis do Brasil, segundo o Guia Exame de Sustentabilidade. Ser sustentável implica em ter o compromisso permanente das empresas em adotar um comportamento ético e contribuir para o desenvolvimento econômico, melhorando, simultaneamente, a qualidade de vida de seus funcionários, famílias, da comunidade local e da sociedade como um todo.


Embraco Brasil - Telefone: (47) 3441-2121

Também nessa Edição nº: 152
Entrevista: Solange Bottaro (2013/02)
Artigo: Sustentabilidade no Mercado Segurador
Notícia: Estados da Amazônia Legal propõem plano estratégico para a região
Notícia: Energia sustentável
Notícia: Investimentos em energia limpa caíram 11% em 2012, aponta estudo
Oferta de Trabalho: Procura-se (02/2013)