Ideias para reaproveitar

1184-phpVDk2s9

A última edição de 2010 do boletim Responsabilidade Social mostra como iniciativas inovadoras podem contribuir para preservar o meio ambiente a partir do reaproveitamento de produtos descartados. No Rio de Janeiro, por exemplo, o carioca, Alfredo Borret, tem apostado na produção de peças artesanais a partir de tampas de garrafas e bolachas de chope. Os produtos não são comercializados, mas têm impulsionado o turismo sustentável na capital fluminense.

No Distrito Federal, a Cooperativa Ambiental dos Coletores e Recicladores de Resíduo Sólido e a Fundação de Apoio a Pesquisa lançaram um projeto piloto para transformar sucata em matéria-prima para produção de containers de entulhos. A ideia é aproveitar os mais de 1000 tanques de combustíveis descartados. A iniciativa pode gerar cerca de cinco mil empregos indiretos.

Na outra ponta do país, a Nestlé instalou um ponto de entrega voluntária no primeiro supermercado flutuante do Brasil. O posto instalado no barco que percorre municípios da região Norte objetiva estimular a coleta seletiva de embalagens para reciclagem. A iniciativa beneficiará a população ribeirinha, que receberá materiais informativos e será orientada sobre como fazer a separação correta dos resíduos.

A publicação traz ainda uma entrevista exclusiva com a presidente do Instituto Hartmann Regueira, Cecília Regueira, que apresenta os principais projetos da entidade que oferta soluções em gestão para investimentos sociais. Na entrevista a especialista também avalia o gerenciamento das ONGs no Brasil, bem como os investimentos sociais realizados em solo brasileiro. Ela aponta ainda os principais desafios para o terceiro setor e antecipa os planos da instituição para 2011.

Outro destaque é o lançamento da NBR ISO 26000, que traz orientações sobre sete temas-chave de responsabilidade social, como governança; transparência; ética; e sustentabilidade. O mecanismo atende todos os tipos de organizações, independentemente do porte ou localização. Diferente das demais normas, a 26000 não é certificável, nem tem caráter de sistema de gestão. Trata-se de um guia de aplicação voluntária.

Por fim em artigos, Stella Susskind mostra como a inserção profissional de pessoas com deficiência tem transformado o varejo nacional. Recentemente, a executiva criou um projeto de inclusão profissional inédito que capacita pessoas com deficiência a atuar como clientes secretos. O recrutamento tem sido realizado em parceria com o Programa Trabalho Eficiente, da Associação de Assistência à Criança Deficiente.

A equipe do Responsabilidade Social.com deseja a todos uma boa leitura e um 2011 sustentável!

Boas Festas!




Também nessa Edição nº: 110
Perfil: Alfredo Borret
Entrevista: Cecília Regueira
Artigo: A inserção profissional dos portadores de deficiência transforma o varejo nacional
Notícia: O que deu na mídia (edição 110)
Notícia: Nestlé instala posto de coleta seletiva em supermercado flutuante
Notícia: ABNT lança norma de responsabilidade social
Notícia: Tanques de combustíveis terão destinação ecologicamente correta no DF
Oferta de Trabalho: Procura-se (12/2010)