Emprego e cidadania

A edição 95 do Responsabilidade Social.com traz entrevista como a advogada Chyntia Barcellos, especialista em Direito Homoafetivo. A autora da cartilha “ABC do direito homoafetivo”, que está na segunda edição, aborda as principais dúvidas relacionadas a essa temática, como por exemplo, o que é sexualidade e como a lei a define, o que diz a Justiça sobre o preconceito, como comprovar uma união entre pessoas do mesmo sexo, entre outros.

Também traz duas iniciativas que une emprego, arte e cidadania. Uma delas, realizada no Rio de Janeiro, levou oficinas de costura, bordado e pintura em tecido para um grupo diversificado de mulheres de baixa renda. E como resultado, elas apresentam geração de renda, recuperação da autoestima, além de ser tornarem referências na comunidade. A segunda também alia artesanato, melhor renda e superação. Trata-se da cooperativa Futurarte, que beneficia 21 artesãos da zona rural de Betim (MG). As peças produzidas pela entidade estarão na 12ª edição do Festival Moda Ética, que começa neste mês em Lyon, França.

Outro tema abordado é o projeto social Inclusão Digital, que promove cursos gratuitos de informática no DF. Realizado pelo Iesb, o projeto está na oitava edição e beneficia atualmente 100 estudantes carentes. As aulas ocorrem no laboratório de informática, instalado no campus da universidade, na Asa Norte e abordam temas que vão desde a introdução à microinformática à pesquisa e recursos multimídia.

A seção perfil, trata sobre José Tolovi Jr, CEO da Global do Great Place to Work® Inc., empresa global especializada em ambiente de trabalho. Ele integrará o comitê técnico do Prêmio de Responsabilidade Social e Sustentabilidade do Varejo. Com mais de 30 anos de experiência em consultoria empresarial, Tolovi é doutor e mestre em Sistemas de Informação e Decisão pelo IAE da Universidade de Grenoble (França).

Na seção artigos, Ricardo Voltoli fala sobre pesquisa do Datafolha divulgada recentemente. O estudo revelou que pouco mais de nove entre 10 brasileiros acreditam no fenômeno do aquecimento global. Três quartos dos entrevistados acham que a ação humana é a grande responsável pelas mudanças climáticas. Os números diferem muito dos registrados em estudos com americanos e ingleses. Nos EUA, metade dos cidadãos não crê na responsabilidade do homem pelo aquecimento global. Na Inglaterra, são 25%.

Boa leitura!




Também nessa Edição nº: 95
Perfil: José Tolovi Jr
Entrevista: Chyntia Barcellos
Artigo: Brasileiro se preocupa com aquecimento global, mas muda pouco
Notícia: O que deu na mídia (edição 95)
Notícia: Capacitação profissional devolve autoestima a cariocas
Notícia: Moda do bem
Notícia: Informática solidária
Oferta de Trabalho: Procura-se (05/2010)