Boas práticas pelo país

A edição 93 do Responsabilidade Social.com traz entrevista com Cláudio Tieghi, presidente da Associação Franquia Sustentável (Afras), braço social da Associação Brasileira de Franchising (ABF). Tieghi fala sobre o programa Franchising de Baixo Carbono, que tem como objetivo estimular e orientar redes de franquias a reduzir e compensar suas emissões de gases de efeito estufa. A iniciativa, realizada em parceria com o Instituto Socioambiental (ISA), mostra que gerir uma empresa levando em conta aspectos socioambientais não é algo viável apenas para os grandes negócios.

Na seção notícias, destacamos uma iniciativa de Porto Velho, que tem mostrado aos detentos da cidade que é possível reconstruir a vida e ter uma fonte de renda sustentável. A estratégia alia qualificação profissional e formação cultural. A abordagem já apresenta resultados promissores que comprovam a eficácia da proposta. Trata-se do Iluminar, projeto realizado pela Associação Cultural e de Desenvolvimento do Apenado e Egresso (Acuda).

Traz, ainda, matéria sobre a participação da Associação dos Artesãos de Luziânia (Artesania), na Capital Fashion Week (CFW), o terceiro maior evento de moda do país. A entidade, que emprega mais de 20 artesãos, teve a oportunidade de divulgar para o exterior produtos elaborados a partir de trançados de papel reaproveitado. As peças incluem bolsas, cestos, organizadores, pufs, revisteiros e luminárias.

Outro tema em destaque é o concurso do Embracom, que auxiliará financeiramente instituições sem fins lucrativos de todo o país que desenvolvam ações voltadas para crianças, com um aporte que poderá chegar a R$ 40 mil. Trata-se de uma iniciativa pioneira no segmento e o fundo será formado a partir da destinação de R$ 1,00 de cada cota vendida. As inscrições podem ser feitas até o dia 14 deste mês.

Em perfil, contamos a história de Marcos Taira, o dekassegui criador do Método Junban. O trabalho envolve um conjunto de palestras motivacionais que não se restringe à relação empresa/empregado, mas valoriza a questão pessoal, familiar e até mesmo conjugal dos participantes. A metodologia foi desenvolvida no Japão a partir de uma vivência de luta e superação. No Brasil, já beneficiou mais de 200 pessoas desde o ano passado.

Em artigos, Ricardo Voltolini fala sobre pesquisa sobre consumo consciente. Para ele um dos grandes problemas desses estudos é a diversidade de métricas adotadas. Na prática, isso prejudica, por exemplo, a comparação do peso relativo conferido a atributos socioambientais com os outros atributos que são levados em conta no cálculo do consumidor no momento da compra. Outra limitação conhecida de sondagens dessa natureza está na confusão entre intenções e ação concreta.

Boa leitura!




Também nessa Edição nº: 93
Perfil: Marcos Taira
Entrevista: Cláudio Tieghi
Artigo: Consumo consciente (2010/04)
Notícia: O que deu na mídia (edição 93)
Notícia: Artesãos de Luziânia participam da CFW e divulgam peças produzidas com responsabilidade socioambiental
Notícia: Administradora de consórcios cria programa para custear iniciativas sociais
Notícia: Emprego e cultura reinsere ex-detentos de Porto Velho
Oferta de Trabalho: Procura-se (04/2010)