O desafio do exercício da Responsabilidade Social nas micro e pequenas empresas

1697-phpwjQQ7i

Por Patrícia Sodré

As micro e pequenas empresas do Brasil têm se destacado nas iniciativas sociais e ambientais que realmente geram impacto na localidade onde estão inseridas. Essa é uma tendência do universo corporativo: a prática economicamente viável, socialmente justa e ambientalmente correta, como conceitua o Instituto Ethos sobre a sustentabilidade.

O que se acreditava ser uma “obrigação” apenas dos grandes passou a ser entendido como boa oportunidade de alavancar os negócios também para os pequenos. Mas para isso é preciso entender o que se propõe uma empresa socialmente responsável, já que esse conceito não apenas indica ações da “porta para fora”, mas a empresa precisa cuidar de pontos primordiais tornando-se assim referência para os seus públicos de influência.

O Sebrae realizou recentemente uma grande pesquisa, com cerca de 4 mil empresários, e obteve resultados reveladores, no que concerne ao diferencial que a ação de RSE gera ao negócio. Mas essa não é uma ação que se concretiza do dia para a noite, é preciso avaliar o seu negócio e compreender de que forma pode-se gerar impacto positivo com a sua prática sustentável. Para tanto foram estabelecidas sete diretrizes para a responsabilidade socioambiental que pudesse atender e gerar diferencial para a prática das micro e pequenas empresas.

O primeiro deles trata-se da transparência empresarial, a empresa que deseja carregar o título de socialmente responsável precisa olhar para dentro e ser transparente junto aos seus públicos, isso significa estabelecer valores ligados aos direitos humanos na sua forma de agir diante do mercado. Uma ação eficaz é a criação da missão e valores da empresa, essa atitude simples pode gerar importantes direcionamentos para as ações da empresa.

O relacionamento com os colaboradores também é uma ferramenta que gera impacto no fazer social da empresa e está sendo indicado como o segundo ponto de ação das micro empresas, afinal não dá para ser bem visto pela comunidade se internamente a sua gestão não valoriza e impulsiona os seus colaboradores. A dica é que se posa haver respeito a legislação trabalhista e a garantia da remuneração digna, esses são pontos básicos, mas ainda muito pode ser feito, como por exemplo o incentivo à educação e ao esporte, além da gestão participativa e a delegação de poderes.

A temática do meio ambiente tem ganhado espaço no mundo corporativo, hoje a premissa adotada é que somos todos responsáveis pelos resíduos que produzimos, pelo consumo consciente dos recursos naturais e ainda pela preservação do meio ambiente. A sua empresa pode gerir os resíduos que gera, separando os recicláveis e dando a destinação correta para eles, essa ação é simples e contribui para a mudança de postura dos envolvidos. Atitudes como essa ultrapassam as barreiras do empreendimento, contribuindo para a fomentação da cultura ambiental positiva.

A quarta ação identificada é o monitoramento dos fornecedores, é muito importante saber de quem você compra seus produtos e se estes mantem práticas éticas assim como você. Uma boa atitude para se resguardar quanto a isso é a construção de um contrato de trabalho que vislumbre claramente tudo aquilo que você identifica como ético.

Uma ação importante e essencial para o sucesso do posicionamento social da empresa é estreitamento dos canais de comunicação com os seus clientes, dito isso, é importante estar atento às informações disponíveis nos produtos/serviços que são oferecidas. Uma solução bastante utilizada pelas empresas são as mídias digitais, onde as mesmas podem gerenciar o recebimento de críticas, elogios e reclamações, dando agilidade ao contato com aqueles que estão de olho na sua marca.

O comprometimento social está ainda intimamente ligado a sua promoção social junto à comunidade na qual está inserida. Contribuir com a transformação social do local onde está alocado gera importantes retornos para a empresa e uma delas é a diminuição da desigualdade social. Adote um projeto social e incentive seus colaboradores a realizarem ações voluntariamente nessas causas, você pode investir seus talentos e gerar mudanças no local onde a sua empresa está instalada.

Por fim a dica para uma postura socialmente responsável é a manter-se sob uma conduta ética. Se posicione e esteja atento à legislação para que o seu negócio esteja sempre relacionado a uma imagem positiva quando o assunto é a ética, a responsabilidade social e o comprometimento ambiental.

O desafio está exatamente aí, em entender que todos têm um papel importante na dimensão cidadã e que os negócios, cada um a sua medida, podem contribuir para a transformação da realidade. Bons exemplos podem ser dados e o seu negócio pode sair na frente quando o assunto é Responsabilidade Social.


Patrícia Sodré é psicóloga com especialização em psicologia social e ativista social por vocação. Acredita na transformação social e valoriza as pequenas iniciativas. Aproveita dos espaços da Rede para a circulação de informações sobre sustentabilidade, consumo consciente e meio ambiente.



Também nessa Edição nº: 166
Entrevista: Paulo César Arns e Madalena Cabral de Oliveira
Entrevista: Daniela da Silva
Notícia: Ajuda animal
Notícia: Orçamento previsto para o programa Mudanças Climáticas recua em 2014
Notícia: Brasília sedia conferência global sobre trabalho infantil
Oferta de Trabalho: Procura-se (10/2013)